INFORME

Mediante os movimentos aos quais devo proceder e acatar, em respeito a vocês, meus Queridos Irmãos (ãs), ainda estou aqui. Entretanto, pode acontecer que as postagens não ocorram de forma como vinham se dando: diariamente.
Desta forma, não estranhem caso haja tal situação.
Que a Ordem Divina, permaneça em nosso caminho.

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

O deserto do peregrino



O deserto do peregrino

É do conhecimento de todos, quer seja por filmes, livros, palestras, textos e etc., o fato de que Jesus de Nazaré e muitos outros, obtiveram suas ‘revelações’ e ou ‘descoberta’, "estando recolhidos" em determinados lugares.
Isto é sabido!

Tanto o é, que não são poucos que se lançam em realizar as ‘mesmas jornadas’ (caminho disto ou daquele, presença em “lugares sagrados”, ‘retiros espirituais’ ...), sempre, obviamente, acompanhados e com várias testemunhas (guias, hospedeiros os ‘parceiros’ e etc.).

Mas, poucos, muito poucos mesmo, se permitem tentar entender o que estes exemplos deixados procuram e procuraram nos mostrar...

Sim! É mais cômodo e ‘salutar’ poder dizer que:    
- fiz este ou aquele trajeto.                           
- fui à ‘tal lugar, lá é mágico’! 
- estive ‘na presença daquele ser iluminado’;                                      e tantas outras coisas mais.


Vamos observar ‘uns pequenos pontinhos’:
- será que foi o deserto (no caso de Jesus), a montanha, a mata ou a cachoeira em outros casos, o fomentador, a mola-mestre para as revelações, sendo assim, ‘lugares sagrados’, podendo, inclusive, alterar/interferir na condição individual?...
- se assim o for, quer dizer então que o restante da Mãe Terra não é sagrado, pois somente ‘aqueles lugares são agraciados’???...
- e se, pelas mais diversas condições, não posso me deslocar para um deserto ou para a montanha, nem me aproximar de uma cachoeira ou mar, estarei, então, já fadado ao ‘limbo’?... 

Pois é!... Se eu não puder estar, naquele dia e horário, diante ‘daquele avatar’ e ou não puder ao menos ‘tocar em suas vestes’, não serei abençoado, não serei ‘respeitado pelos outros’, nem despertarei neles a inveja; e não terei a esperada ascensão... 


Pouco se apercebe de que:
- tudo em sua vida/passagem permaneceu o mesmo após qualquer destes eventos.
- ao ‘voltar’ para sua origem (casa/lar), vindo ‘destas jornadas’, as rotinas se enraizaram mais, que a dependência sob ‘isto ou aquele’ aumentou.                                                                                            

Sua carência, manhãs, desejos, quereres e crenças ficaram mais fortes, pois os conceitos se sobressaíram nestas ‘jornadas’...



Você consegue se entregar ao entendimento de que o ‘deserto, a montanha, o mar’ ou seja lá o que for, tem o sentido do afastamento das questões pessoais (esvaziar-se)?... Você consegue SENTIR ESTA VERDADE EM VOCÊ?...                                                            


Que é ‘neste vazio’ dos problemas, dos anseios, dos desejos, do “querer ter ou ser” que surge a oportunidade de se encontrar/reconhecer com os “seus demônios” e de se determinar diante das “suas próprias tentações”?...

Mas é esta entrega, aceitação e propósito que revela o verdadeiro peregrino!

Quem busca ‘reconhecer/conhecer a si mesmo’ não segue as trilhas/passos de ninguém, procura dar seus passos diante de cada situação/momento, independente de onde estiver. 
Sabe que toda a Mãe Terra é sagrada! 
Se entregando ao perceber e SENTIR a energia atuante para com ou sobre ela atuar. 

ArqueiroHur