INFORME

Mediante os movimentos aos quais devo proceder e acatar, em respeito a vocês, meus Queridos Irmãos (ãs), ainda estou aqui. Entretanto, pode acontecer que as postagens não ocorram de forma como vinham se dando: diariamente.
Desta forma, não estranhem caso haja tal situação.
Que a Ordem Divina, permaneça em nosso caminho.

terça-feira, 18 de outubro de 2016

Fuga e controle, a busca do conhecimento.

Postagem original, em 02;10.2014


Fuga e controle, a busca do conhecimento.

Porque a humanidade, nós, busca o aumento do conhecimento
externo,
quando nem mesmo damos conta (praticamos) do que já nos foi revelado?...

Usamos o artifício do controle, na vã tentativa de fugirmos de nós mesmos, de termos de assumir falhas e descaminhos
(desta e de outras passagens);
assumir, reconhecendo-os para saná-los e não mais repeti-los.
Para tentar fugir destas responsabilidades;
como também da responsabilidade sobre cada passo atual.

Assim, com estas artimanhas, mantemos o padrão de
ocultar/negar o que nos é percebido ou  anunciado.
De utilizar-se da máxima: “- O ego(eu) é assim mesmo!”...
De compactuar de que “as coisas/sistema são assim”.

Mas aonde nos leva (e levou) esta busca desenfreada pelo
conhecimento do externo, em detrimento de se reconhecer e rever?...

Repare ao seu redor, na frieza, imediatismo e vazio
com que a humanidade (nós e os do nosso redor) caminha...
Sem perspectivas, seduzindo-se pelas facilidades e ilusões.

Repare em qual o valor da vida existe (de semelhantes ou das outras espécies), que não resida no próprio interesse?...

Repare em qual respeito que impera (a si mesmo e ao TODO), quando tudo se desenvolve em busca do dito “prazer e felicidade” individual e ou coletivo?...



... Passamos a conhecer o stress e a depressão, o mal disto ou mal daquilo com todos os seus sintomas e efeitos;
e quanto mais conhecemos "sobre isto", mais meios buscamos para “amenizá-los”.
Sem jamais reconhecermos as suas origens, seus nascedouros
e, desta forma, tentar poder  findá-los.


Lançamo-nos, cada vez mais, na aquisição deste "novo conhecimento/tecnologia", atribuindo-lhe, esperançosamente, a "salvação";  
como se a redenção viesse por seu intermédio.
E nesta fuga alucinada, lançamo-nos, individualmente e como humanidade, mais e mais para dentro da areia movediça, ao centro do furacão.

É certo que o conhecimento sobre onde e como nos encontramos,
com nosso estado/estágio/formatação,
é fundamental para nos nortear pelo caminho;
mas é esta a sua valia: orientar!
Não para desvirtuar, esconder ou muito menos “controlar”.

Então, antes de buscar “conhecer mais”, procure ter o entendimento/compreensão sobre o que já lhe foi revelado
e possa, desta feita, atuar sem desconsiderar/ignorar e burlar, 
as Leis da Criação e ao TODO.

ArqueiroHur