INFORME

Mediante os movimentos aos quais devo proceder e acatar, em respeito a vocês, meus Queridos Irmãos (ãs), ainda estou aqui. Entretanto, pode acontecer que as postagens não ocorram de forma como vinham se dando: diariamente.
Desta forma, não estranhem caso haja tal situação.
Que a Ordem Divina, permaneça em nosso caminho.

terça-feira, 11 de outubro de 2016

OS PERÍODOS

Postagem original, em 10.03.2013




OS PERÍODOS

A Mãe Terra e seus habitantes
dos mais diversos reinos e espécies,
todos os anos nos mostram e relembram
como há períodos para tudo:
acasalamento, floração,
quietude, desova, maturação...,
período de chuva, de calor, de frio;
de vento, de seca, de cheias,
de claridade e escuridão...
Períodos de silêncio
e outros de movimento...

Os ursos hibernam, as árvores florem
os animais procriam...
Tudo decorrendo dentro do seu
tempo/período, em plena harmonia
e comunhão/interação.



Mas eis aqui, algo que devemos
observar e nos perguntar:

Nós, humanos, pela nossa rotina, hábitos
e costumes,
pelos nosso conceitos, desejos e querer,
respeitamos os períodos de cada coisa/SER 
que nos cerca;
os períodos da própria Mãe Terra?...

Individualmente, você percebe/sente
e, principalmente, respeita os ‘seus períodos’,
dando-se à quietude ou ao movimento,
permitindo-se a maturação/crescimento
dos frutos da consciência?...



Você já teve a curiosidade de saber
quanto tempo/anos leva um “cristal”
para se formar?...

Para Ele chegar ao ponto de poder
atuar transmutando a energia,
auxiliando-nos nos processos de limpeza
e cura pelo TODO,
não foi da noite para o dia,
dentro do que Ele queria ou desejava.

Não, tudo se deu dentro do necessário!

Tendo a sua maturação individual.
Pois é somente com esta maturação, crescimento
e preparo individual,
que se pode e se vai realizar tarefas pelo TODO,
em comunhão com Ele .


Então, procure perceber/sentir
e respeitar “o seu período”,
o que seu corpo e coração apontam
(freando as imposições e hábitos sociais, 
silenciando o querer o "pensar"),
e dê-se ao direito da maturação,
da hibernação, da floração,
do movimento, da renovação...

E creia: o “seu período” é só seu!

Ninguém pode determiná-lo,
estipulá-lo ou dizê-lo para você.
Ele está vinculado e ocorre
de acordo com o ‘seu trabalho sobre si’,
sua revisão, sua entrega, 
sua aceitação do caminho.

Não podendo assim, ser mensurado ou estabelecido
dentro dos meses ou anos e dias da nossa passagem;
contado como contamos as primaveras ou verões.
Muito menos ser estipulado por alguém "de fora".



O “seu período” é sentido/percebido e aceito por você,
ou não.
ArqueiroHur