INFORME

Mediante os movimentos aos quais devo proceder e acatar, em respeito a vocês, meus Queridos Irmãos (ãs), ainda estou aqui. Entretanto, pode acontecer que as postagens não ocorram de forma como vinham se dando: diariamente.
Desta forma, não estranhem caso haja tal situação.
Que a Ordem Divina, permaneça em nosso caminho.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

AS CONTAS, vamos “ZERÁ-LAS”?




AS CONTAS, vamos “ZERÁ-LAS”?

Na nossa vida cotidiana, na matéria,
possuímos e adquirimos
uma “eternidade de contas para saldar”.
São contas de luz, de água, de educação,
de vestuário, de lazer, de moradia,
de alimentação; e por aí vai...
Quando, por qualquer motivo,
não honramos estes “compromissos”,
nos são “cobrados juros”
(um acréscimo monetário sobre 
o valor inicial),
como “mora” 
(uma espécie de penalidade, de sansão);
por termos atrasado o pagamento. 
E caso não saldemos estas dívidas, 
podemos, entre outras coisas, 
ter o “serviço cortado”
(como de água ou luz)
ou perder o “bem adquirido”...

Até aqui, nada nos é “desconhecido”, não é?!...

Mas fazemos “a ligação” deste “nosso conhecimento” pela rotina na matéria,
com a Lei da Criação da Causa e Efeito;
com relação as nossas atitudes,
comportamentos, pensamentos...?

É!... Deveríamos assim proceder
para evitar “dívidas desnecessárias”
e que teremos “uma hora” de pagar, de honrar;
pois, para a Criação:
as nossas atitudes contrárias ao AMOR,
a VERDADE, a SOLIDARIEDADE, INJUSTAS 
e voltadas para o nosso querer/egoísmo,
geram estas “contas” perante o TODO.

E isto, não como penalidade, punição ou sansão.

Não!...
Ela o faz pelo AMOR, pela igualdade,
pelo nosso crescimento e respeito ao TODO;
para manter a Ordem Divina!

Tanto que nos oferta o caminho do rever-se, do reconhecer-se;
entrega-nos “formas/meios” de, pelo trabalho e entrega,
zeramos estas contas
com o perdão verdadeiro e em consciência, 
pelo entendimento/apontamentos,
não mais gerarmos estas contas
e podermos assim, estar junto a Ela,
atuando com o seu AMOR,
revelando a VERDADE,
gerando a LUZ.

Desta forma, atuem “sanando as contas passadas” (carma),
relativas as "diversas existências aqui na ignorância";
mas, não assumam mais “compromissos desnecessários”,
por vaidade, caprichos, pelo descontrole,
pelos interesses...
Pois estes, desde o momento em que
“tivemos o conhecimento do caminho”,
passam a ter “um valor” muito diferente
e determinante na nossa caminhada,
já que estamos desta forma,
“ignorando e desprezando” as Leis da Criação, 
que antes podíamos até dizer desconhecer...

Assim, não perca a chance deste 
momento único de
“zerar suas contas”,
doando-se, trabalhando-se, revendo-se...
Mas, principalmente,
de buscar a consciência para atuar com Ela
e assim, não sair do caminho do SEU SER.
ArqueiroHur