INFORME

Mediante os movimentos aos quais devo proceder e acatar, em respeito a vocês, meus Queridos Irmãos (ãs), ainda estou aqui. Entretanto, pode acontecer que as postagens não ocorram de forma como vinham se dando: diariamente.
Desta forma, não estranhem caso haja tal situação.
Que a Ordem Divina, permaneça em nosso caminho.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Pequenos Pensamentos - CXX


Postagem original, em 13.12.2011


            Só há um percurso para se chegar a LUZ:
            a VERDADE.
            Prioritariamente, com você mesmo.
        
            Tudo o mais, como:
            a condescendência, a compensação,
            as "boas ações", os consolos e afins;
            são atalhos que levam 
            a labirintos sem fim 
            e muitos até, 
            para a areia movediça.
                                                                   ArqueiroHur



APRENDA A SER

Postagem original, em 09.11.2011


APRENDA A SER

Faça por completo o que tiver de fazer, com consciência e determinação.

A “obrigação” não vem da LUZ, é mais um conceito que lhe convenceram ser real.

Ser consciente é ser responsável. 
E quando se é responsável, se “sente” o que se deve fazer e pronto.

Pela “obrigação” se efetua pelo sentido de “dever”  e ou porque alguém assim lhe colocou. 
É externo.

Mas a LUZ não lhe “obriga”! 
Ela lhe dá o entendimento e lhe permite a escolha, de realizar ou não pelo Coração/Sentir e em consciência. 
É interno.

Então, aprenda a SER e FAÇA!
Mas faça-o mesmo, sem temor ou “achar” que possuis “dívidas” com alguém.

Exemplo: Se por sua convicção ou desejo, consideras que devas
 “romper” com  alguém, faça isto na sua totalidade
(obs: quando é o Universo que indica o “rompimento”, situações quanto a objetivos, caráter e propósito, são postos para a sua observação), 
dando a atenção devida aos aspectos energéticos como: trabalhos, objetos, práticas, enfim... 
Desvincule-se de “todas as ligações energéticas”!  
Não creia, que somente ignorando o “outro”, irás alcançar o seu objetivo, este "padrão" de deixar quieto, não é da LUZ. 
A energia está em tudo e não agindo neste sentido, ficarão ambos ainda, “presos e algemados”.

No entanto, se reconheces e “sentes” a “importância” na sua vida/jornada, assuma isto! 
Não dando a menor valia para o que os "outros" 
(incluo aqui, seu próprio ego e convicções) venham a achar da sua atitude.

Seja qual for o caminho que determinastes, honre-o!

Saia de cima do muro da “obrigação e dever”, 
pois, quem é mesmo (seja lá o que for) não fica sem saber o que “quer” e determinou para si e seu caminho.  
Ele é  e assume, não fica iludindo a si mesmo e em consequência aos outros, 
gerando mais e mais consequências por esta "indecisão".
ArqueiroHur



Agradecimento ou dívida?

Postagem original, em 03.12.2012



Agradecimento ou dívida?

Em geral, o agradecimento humano se efetua pelo “dever”, 
em ambos sentidos, tanto de dívida como de obrigação.
Isto ocorre por termos sido formatados com o
“dando para receber”; 
e assim, em contrapartida, quando se recebe, também se deve.

É esta vibração de dívida e obrigação que, disfarçadamente, 
emana no agradecimento, no 'presente/brinde', 
na 'prenda/pagamento'...

Isto sem levarmos em conta outras vibrações mais densas ainda que “afloram”, 
como o despeito e a inveja por o “outro ter para nos servir”, 
onde incorporamos a inferioridade e a insatisfação...
e que também acompanham a "paga".

Porém:



O TODO não faz para ter, receber ou cobrar;
Ele atua por Ser,
não podendo ser diferente do que É.

O TODO não faz para Ser,
Ele faz por que É!  

Por Ser AMOR, Ele emana AMOR;
Por Ser a VERDADE, Ele dissemina a VERDADE
e assim por diante...

Então, quando reconhecemos e entendemos
o que recebemos e Somos,
agradecemos verdadeiramente sem falas ou adornos,
apenas ofertando-nos ao TODO.
Não por esperar algo,
apenas por Sermos o que Somos
sem o ‘querer fazer’, ser ou mostrar.


Se 'queremos realmente' ser gratos,
devemos procurar largar os desejos e quereres,
observar os conceitos, revendo-os,
e assim, agradecer SENDO;
cuidando da nossa energia e da que nos cerca,
disseminando a VERDADE e emanando o AMOR da Criação,
aceitando a VONTADE Divina
e acatando/realizando as tarefas do SER.
ArqueiroHur 



Aprenda a SER III - Compaixão ou Compensação?

                                       Postagem original, em 20.11.2011



Aprenda a SER III - Compaixão ou Compensação?

A compaixão é parte integrante de TODO SER... De qualquer reino ou origem... É um atributo, qualidade e condição da Criação.

Mas e nós, humanos, atuamos com ela (compaixão) ou praticamos a lei da compensação?... 
Você consegue perceber, distinguir uma da outra, na sua vida e postura?... 
E quando um outro está tentando compensar?...

A lei da compensação foi criada pela "sombra", com a finalidade clara de tentar “esconder” suas fraquezas e falhas... 
Foi difundida e propagada há séculos, juntamente com o “deus externo”, visando com que não revíssemos nossas condutas e nos mantivéssemos atrelados a este “sistema de crenças" que vigora até hoje:

- peso e medidas: onde a “falha’ é “esquecida” pelas ações benignas ou “doações” que se efetue. 
Ex: o “confessionário” e o “dízimo” tão propagado em várias linhas, situações em que se "paga" para manter a conduta.

- recompensa: dá-se ou faz-se, visando ou esperando a “recompensa de deus”. 
Ex: a “caridade” aparente, que sempre vem com algo “embutido”, como “favor” e no aguardo do “receber alguma graça”.

- obrigação e dever: onde a palavra “missão” ganhou importância e relevância.  
Ex: vai-se no dia e na hora marcada ao centro, culto, ritual, missa, enfim... e lá, naquele momento, realizamos a nossa parte com “deus” e podemos "tudo então".

Nós, não percebemos o quanto isto está enraizado no nosso “mental” nem nos damos conta do quanto praticamos esta lei...

Mas a “usamos” diariamente... Enquanto “falamos” em compaixão.

Ocorre que a compaixão é um estado de SER... 
Ela não “visa” a nada... 
Não mede “ocasião”, situação ou a quem e quando irá atuar.

O SER sabe que nada pode ou deve ser compensado
Que seus atos e “falhas”, devem ser revistos e que após isto, não há orgulho que lhe impeça de pedir perdão. Pois isto, o perdão, é a única coisa capaz de transmutar a energia gerada.
Que não adianta tentar "esquecer" uma atitude ou pensamento indevido, muito menos "agir em outros campos", para suplantar o "esquecido". E que esta "tentativa" de compensar põe em "risco", energeticamente, a quem estamos "ajudando", gerando assim, consequências...
As suas atitudes são pelo coração, não tendo “recompensa” que caiba nisto.

Entendam: a compaixão é vinculada a consciência. 
Não a crenças, convicções... e que não se pode “racionalizá-la”, explicá-la com o "por que da ação"... Pode-se, como tento aqui, dizer onde Ela não se encontra e perceber isto.
Que também não há "dever" de fazer e sim o sentir e atuar.

Assim, aprendam a SER e apliquem a compaixão.

ArqueiroHur