INFORME

Mediante os movimentos aos quais devo proceder e acatar, em respeito a vocês, meus Queridos Irmãos (ãs), ainda estou aqui. Entretanto, pode acontecer que as postagens não ocorram de forma como vinham se dando: diariamente.
Desta forma, não estranhem caso haja tal situação.
Que a Ordem Divina, permaneça em nosso caminho.

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

A prisão do solitário, e a liberdade do sozinho

Postagem original, em 05.04.2014



A prisão do solitário,  e a liberdade do sozinho

Você concebe alguma diferença entre solitário e sozinho?

Vamos observar estas palavras:

Estar só tem beleza

Eu não sei se você já esteve solitário;
quando você de repente 
percebe que não tem relação com ninguém
– não uma percepção intelectual, 
mas uma percepção factual –
e você está completamente isolado.
Toda forma de pensamento e emoção fica bloqueada;
você não tem para onde se voltar;
não tem para quem se voltar;
os deuses, os anjos, foram todos para além das nuvens
e, como as nuvens desaparecem, 
eles também desapareceram;
você está completamente solitário 
– não vou usar a palavra sozinho.

Sozinho tem um significado completamente diferente;
a solidão tem beleza.

Estar sozinho significa algo inteiramente diferente.
E você deve estar sozinho.

Quando o homem se liberta da estrutura social da ganância, inveja, ambição, arrogância, realização, status,
quando ele se liberta disso,
então está completamente sozinho.

Essa é uma coisa completamente diferente.
Então há grande beleza, o sentimento de grande energia.

-J. Krishnamurti, The Book of Life-
http://www.jkrishnamurti.org/pt/krishnamurti-teachings/view-daily-quote/20140402.php




Conseguiu observar alguma coerência nelas?...

Bom..., nelas Krishnamurti tenta nos fornecer o entendimento da prisão em que um vive (o solitário) 
e da liberdade alcançada no estado “sozinho”.


O solitário é aquele que se sente vítima, abandonado, injustiçado,
“traído”..., por tudo e por todos 
(família, conhecidos, Criação e etc.);
que não teve seus desejos, mimos e ou pretensões atendidas.
Que “foi contrariado” ou desprezado.
Está sempre almejando algo
(companheirismo, benesses, reconhecimento...).

Que por onde quer que vá, carrega suas intenções, carências, vontades e dogmas;
procurando sempre impor seus caprichos e vontades.

Estando sempre “pesado” pela escravidão a que se submete
(nem sempre sendo inconsciente desta escravidão;
pois, muitos fazem destes objetivos a razão da sua existência),
imerso em guerras individuais.

O solitário provém das emoções e sensações,
que por sua vez são frutos dos conceitos e padrões sociais.
O que bloqueia o fluxo de energia, gerando distúrbios/desequilíbrio.
Ou seja, ele é cria da separação e da sombra.


O sozinho brota naquele que conseguiu soltar as amarras do ter.
Do ter de ir, de alcançar, de possuir, de “ser”...
Do ter de agradar, de receber, de “buscar”, de mostrar...
Do ter o dever, a obrigação;
desprendeu-se dos controles, das manipulações e dependências.

E desta forma, livre, dando fluidez e leveza ao seu caminhar,
permite que a LUZ, o Universo Evolutivo e a Sua Voz Interior
sejam os guias e representantes da Vontade Divina em seus passos.  

Sim!... Não é contraditório o sozinho ter a companhia da LUZ!
Muito pelo contrário!
Pois ele se torna sozinho no/afastado deste mundo do ter, dos conceitos, da ilusão, do egoísmo.

Sozinho é o "estado de ser/consciência" alcançado pelo reconhecimento da condição em que nos encontramos aqui neste plano (formatados) 
e de se SENTIR (e a tudo) como energia;
do REVER e romper com os conceitos
e da aceitação e entrega aos apontamentos da LUZ.
Única maneira da consciência do Seu SER e do TODO poder atuar.



Aquele que no mundo dos conceitos e desejos não se encontrar,
no TODO tende à estar e a ter como companhia, 
somente o Universo Evolutivo.

ArqueiroHur