INFORME

Mediante os movimentos aos quais devo proceder e acatar, em respeito a vocês, meus Queridos Irmãos (ãs), ainda estou aqui. Entretanto, pode acontecer que as postagens não ocorram de forma como vinham se dando: diariamente.
Desta forma, não estranhem caso haja tal situação.
Que a Ordem Divina, permaneça em nosso caminho.

sábado, 4 de fevereiro de 2017

O SILÊNCIO DA LUZ

Postagem original, em 19.02.2013



O SILÊNCIO DA LUZ

A LUZ não alimenta discussões, discórdia.
Não "infla" ou sustenta egos!
Ela fará sempre os ‘apontamentos’ necessários,
mas perceberá a resistência ou inadequação ao exposto 
e permanecerá “quieta”, em silêncio 
permitindo a reflexão
ou mesmo escolha do envolvido.  


Observemos estas palavras:

"Um Mestre instrui os seus discípulos pela palavra,
Mas instrui-os também no silêncio.
Quando o Mestre lhes fala, dirige-se a eles,
e quando ele está em silêncio,
é aos discípulos que cabe irem até ele
para tentarem captar os seus pensamentos,
para se juntarem a ele nas regiões distantes
onde a sua alma vive e respira.

Eis mais um exercício que se pode fazer:
procurar juntar-se ao seu Mestre,
segui-lo pelo espaço, subir,
elevar-se até ao plano mental superior,
o plano causal.

O silêncio de um Mestre
pode ser tão instrutivo para o discípulo
como as suas palavras.
Nessa circunstância,
é a alma do discípulo que recebe:
ela vê, sente e regista os pensamentos do Mestre.

Se o discípulo não sabe imediatamente
o que a sua alma captou,
é porque é necessário tempo para que isso
impregne o seu cérebro.

Mas um dia, mais tarde,
surgir-lhe-ão pensamentos, ele fará descobertas,
terá reminiscências cuja origem
nem sequer conhecerá.
Será, muito simplesmente, qualquer coisa que,
há muito tempo,
ele tinha captado junto do seu Mestre."
-Omraam Mikhaël Aïvanhov-


Nelas, ficam evidenciados, tanto o
“tempo de maturação”/esforço de cada um, individualmente, 
como também o registro na alma,  
que tende a produzir
a sabedoria e consciência...

Por este “tempo de maturação”,
deve-se também ater-se ao cuidado  na prática
do exercício proposto
de elevar-se ao plano superior,
pois, fazê-lo pelo “querer ”
(invejando e ou desejando “ser o outro")
não conduzirá ao plano desejado,
como já bem devemos ter assimilado
e percebido...

Então, quando há o silêncio da LUZ,
sua 'quietude' em relação as "nossas questões",
devemos procurar perceber o que isto
está tentando nos trazer,
qual reflexão e ou revisão na nossa
postura/conduta devem ser efetuadas.

Lembrem-se de que a LUZ tem o propósito
de que sejamos a consciência,
e não somente “seguidores” ou dependentes
disto ou daquilo;
sendo desta forma necessário,
que nós venhamos a ter o entendimento
e os movimentos da mudança/revisão
e crescimento.

E neste pseudo afastamento da LUZ e "abandono",
que alguns venham a “sentir” por seu silêncio,
fica tão somente evidenciado
a sua dependência quanto a Ela,
como também a sua falta de esforço
em procurar crescer e crer em si mesmo,
ficando sempre na espera dos ‘apontamentos’
e indicação dos passos no caminho...


Assim, o silêncio da LUZ
pode ser também um ritual de passagem,
onde se revela o nível de comprometimento
que  se tem com a Evolução,
ao aceita-lo e procurar entende-lo...



A LUZ sempre fará a sua parte,
orientando-nos e ou nos deixando escolher,
sem interferir ou induzir;
cabendo-nos o trabalho de
largar o controle e a racionalização,
e SENTIR.

Nós estamos sempre realizando escolhas,
quer “queiramos” e nos responsabilizemos
ou não.
ArqueiroHur