INFORME

Mediante os movimentos aos quais devo proceder e acatar, em respeito a vocês, meus Queridos Irmãos (ãs), ainda estou aqui. Entretanto, pode acontecer que as postagens não ocorram de forma como vinham se dando: diariamente.
Desta forma, não estranhem caso haja tal situação.
Que a Ordem Divina, permaneça em nosso caminho.

sexta-feira, 10 de março de 2017

A confiança requer ousadia – II, as repetições

Postagem original, em 10.10.2013


A confiança requer ousadia – II, as repetições

Sem a ousadia da confiança, aonde chegamos?...

Dentro do controle estabelecido e seguido por nós,humanos, procuramos sempre a segurança das repetições,
sejam em situações, com pessoas,
em compromissos com hora e dia marcados
e numa infinidade de outros hábitos e costumes.

Na rotina julgamo-nos e nos consideramos “senhor da questão”. 
E assim procuramos fazer de tudo para que este padrão 
e “segurança” não se modifique
ou se perca...

Mas, a LUZ é movimento/ação, crescimento/aprendizado.

E como obtemos isto, ficando estagnados, repetindo,
vivendo e revivendo diariamente as mesmas situações?...

É, não reparamos que a rotina sob a qual nos estabelecemos,
além de viciosa, é também uma prisão.
Confortável e satisfatória para muitos em muitos aspectos,
entretanto, que afasta a possibilidade da LUZ atuar,
já que nos fechamos dentro desta rotina e padrões...

Olhe a natureza e perceba o seu movimento.
Ele nos passa desapercebido, quase mesmo ignorado.

Por qualificarmos o “tempo” por período
(verão/calor, inverno/frio e etc...),
nos acostumamos a não observar os movimentos
e diferenças que ocorrem diariamente;
e entre o mesmo período passado
(calor mais intenso, inverno mais rígido...),
pois estamos sempre muito absortos em nossa rotina,
“segurança” e questões.
     
Mas o movimento está aí, para servir-nos como exemplo
das ações da Criação e LUZ.


Observem a rotação da Terra, que faz com que
o sol nasça a cada dia num ponto diferente,
promovendo a passagem de cada estação.
Dando-nos a noção do "velho":
“um passo de cada vez”, ou “devagar se chega ao longe”.

Sim!... o movimento não está somente num vendaval
ou num temporal, terremoto como supomos,
fomos levados a crer e ou a dar valor/temer.
O movimento da LUZ, da Criação, da Natureza
é contínuo, permanente.
Sem repetições e ou a estagnação
como promovemos, pela formatação e conceitos,
em nossa vida/passagem.

Então, hoje, é necessário ousadia
para podermos confiar na Criação
e nos SENTIRMOS parte Dela,
aceitando e nos permitindo/entregando 
aos movimentos que Ela nos aponta, à sua condução.
  
Entretanto, a ousadia não pode ser induzida
ou ofertada por ninguém.
Ela é algo interno, que aceitamos ou não.
É fruto da nossa escolha, determinação e propósito. 

ArqueiroHur