INFORME

Mediante os movimentos aos quais devo proceder e acatar, em respeito a vocês, meus Queridos Irmãos (ãs), ainda estou aqui. Entretanto, pode acontecer que as postagens não ocorram de forma como vinham se dando: diariamente.
Desta forma, não estranhem caso haja tal situação.
Que a Ordem Divina, permaneça em nosso caminho.

sábado, 17 de junho de 2017

A diferenciação







A diferenciação


“Qualquer um pode fazer o que eu faço 
e muito mais!”
-Jesus de Nazaré-

Por qual razão “se pode fazer mais” e, principalmente, pela qual não conseguimos nem realizar “o que já foi feito”, o que nos foi deixado com exemplos de atuação?...

Você pode encontrar e discorrer diversos motivos/razões, e todas dentro de conceitos, de condições e blá, blá, blá... Mas, a fundamental e a mais simples, deve estar sendo ignorada em sua ‘analise’.

Por mais elucubrações e justificativas que se possa ter tido, algo básico e essencial não foi observado, pois é sempre relegado, deixado em um segundo plano.

Como nos disse Ramatis, entre tantos outros:

“...Tenham consciência de que tudo envolve energia...”,

Pois é, isto é o que vivemos ignorando!

Mas, em cada ato/tarefa efetuada, mesmo nas mais simples como nas tarefas diárias...; em cada pensamento e ou palavra dita ou escrita, em cada ‘encontro’ e ou relacionamento, 
tudo envolve energia!



E esta “energia” se diferencia pela sintonia/vibração em que 
nos encontramos. 
É este o ponto em questão!

Não é a LUZ que ‘desce até nós’, pelos nossos pedidos. Pelos ‘merecimentos’ ou intenção.
Não!

Somos nós que temos de sintonizar-nos Nela, através do REVER/UNIFICAÇÃO e aí, propagando-A, difundindo-A!

A feitura de um simples bolo caseiro torna-se diferente exatamente pela sintonia/vibração de “quem efetua”. Pode-se seguir fielmente a receita, utilizar-se do mesmo forno, do mesmo material e medidas... O sabor tende a ficar parecido, mas a leveza, a harmonia será diferente, fazendo com que a própria degustação seja outra; onde ‘um se come’ seguindo-se pelo prazer e o ‘outro se saboreie’ e alimente-se do necessário, embora tudo ‘lembre’ o outro bolo. 
Mas, ficará nisto, na lembrança e ou semelhança.

A essência de qualquer coisa está na sintonia/vibração, na energia que dela é emanada, e aqui, neste plano, isto é relativo à energia de “quem efetua/manipula”. 
Daí que existe a ‘transformação da água em vinho’, de uma flor ou erva em um real medicamento e não da ‘simples utilização das propriedades químicas deles’, isto é a alquimia em si.

Pode o ‘nome’ ser o mesmo, a cor, o cheiro..., a aparência ser muito parecida, mas a vibração...



Então, é isto que faz com que não consigamos nem mesmo realizar ‘o que já foi feito’. Pois, não conseguimos ter a consciência para sintonizarmos na vibração da LUZ, que é por onde Jesus de Nazaré atuou e nos indicou (e não só Ele).

Hoje, pela vibração do planeta ser mais elevada do que na época de Jesus, poderíamos sim “fazer mais”; só que para tanto, temos de estar nesta vibração, sendo parte integrante dela para podermos com ela atuar.

Não é pelo conhecimento e ou teorias adquiridas, pela participação nos mais variados eventos, da agregação nos mais variados ‘grupos’, efetuando 'técnicas' que sintonizamos nesta vibração. Longe disto!

A sintonia é pessoal e fruto do trabalho sobre si e aceitação do caminhar e de onde/como nos encontramos ou das escolhas e permissões que efetuamos; ou seja, mais elevada ou mais densa. E é esta sintonia/vibração que propagamos, nos mais diferentes atos ou tarefas.

Como podemos falar em Luz, quando o que damos valor, seguimos e perseguimos é referente e está associado, em todos os aspectos, somente à matéria, em sua densidade e com seus conceitos?...

Pode haver cura sem Luz?... Luz sem consciência?...
Consciência sem responsabilidade?...

ArqueiroHur