INFORME

Mediante os movimentos aos quais devo proceder e acatar, em respeito a vocês, meus Queridos Irmãos (ãs), ainda estou aqui. Entretanto, pode acontecer que as postagens não ocorram de forma como vinham se dando: diariamente.
Desta forma, não estranhem caso haja tal situação.
Que a Ordem Divina, permaneça em nosso caminho.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Pequenos Pensamentos - CCLXXIII


Postagem original, em 21.06.2014

Quem, pela aceitação e entendimento,
se entrega ao caminho do rever/crescer,
sabe que a cada novo dia
(ou instante)
algo dentro de si se transformou,
se renova.
E por esta compreensão e prática,
vem a romper com toda e qualquer
forma/padrão de comparação
com o que quer que seja;
pois ele mesmo se reconhece
como não sendo mais o mesmo de "ontem",
de um instante já ocorrido.
                                                           ArqueiroHur



Esconderijo

Postagem original, em 08.03.2014


Esconderijo

Você quer se rever e trilhar o caminho evolutivo?
Então:

Não fale, escute-se!
Não responda, respire!
Não espere, trabalhe-se!
Não tema, confie!
Não se iguale, seja autentico!
Não julgue, 
reconheça-se também 'vendado',  
na ignorância!
Não se esconda, 
seja claro, límpido!
Não lamente as ocorrências,
aprenda com elas!
Não "compre", observe!
Não corra mais a esmo ou em círculos,
aquiete-se e deixe a saída/porta se pronunciar!
Não deseje, atue!
Não sonhe, seja!
Não "saiba", 
despoje-se das considerações silenciando-se!
Não compare, mas espelhe-se!
Não "veja", SINTA!


Enquanto não houver a humildade de reconhecer-se formatado,
seguindo conceitos e com passos pela ânsia de suprir carências 
e manter-se no controle,
ou seja, 
sem a consciência do estado em que se encontra;
tudo o que for efetuado será como uma maquiagem,
um subterfúgio para a manutenção da zona de conforto/esconderijo 
em que se colocou:
disfarçado como "mais um" na multidão.  
ArqueiroHur



CURA ou dependência?

Postagem original, em 12.03.2014


CURA ou dependência?

Como pretender a cura sobre qualquer situação ou aspecto,
sem reconhecer a sua raiz em si mesmo?...

Sem perceber e aceitar a causa/origem no meu comportamento,
nas minhas atitudes, incompreensões e querer?...


Contar/confiar que qualquer um do externo tenha este “poder/dom”, atribuindo-lhe esta condição sobre mim,
é negar a todos os princípios e Leis da Criação.
Pois, aonde se encontra a Igualdade, a Justiça, a Misericórdia,
o Respeito e o AMOR Divino,
quando “um outro” pode sanar o que me é devido?...

E aqueles que não foram “agraciados por este salvador”,
que penaram com suas enfermidades ou “desgraças”,
são “inferiores” ou foram esquecidos pela Criação?...
  
Quem procurou aprender e encontrar a razão do desequilíbrio
para romper com suas repetições,
se torna “o quê” diante destes agraciamentos externos
que dele passaram ao largo?...  




Se Jesus de Nazaré houvesse proposto esta “cura externa”
tão difundida, propagada, seguida e desejada,
por qual razão teria Ele nos deixado ensinamentos?...
Por qual motivo, tentou Ele orientar aos seus discípulos, apóstolos e população que o ouvia?...

Ora!...
Seria muito mais fácil e comodo para Ele
-como o é ainda hoje para muitos-
manipular a energia  ofertando ‘paliativos agradáveis’,
não se expondo ou enfrentando ao desagrado de muitos;
e teria Ele, muito provavelmente, evitado ser traído ou negado
pelos seus companheiros
e todas as consequências que surgiram.
Obteria, em contrapartida com esta facilidade
-e como vemos em prática no geral-,
uma legião de “fiéis seguidores” que colocam o peso
da responsabilidade do seu destino e caminhar,
em Suas costas...




Se você possui dificuldades em entender e aceitar a CURA em Si,
observe ao seu redor o que o mundo e as situações mostram,
para obter o entendimento
e veja a dependência subtraindo e “substituindo” a CURA.
Observe a necessidade de medicamentos
ou de se estar aqui ou ali (com alguém ou em grupos) 
para se "manter/sentir equilibrado”
e ou “sendo salvo/curado”.

Perceba o moto-contínuo da dependência gerado nesta “cura externa”...


Quem pode dizer que nunca soube de casos em que
após uma cirurgia médica para a retirada de células cancerígenas,
as mesmas voltam a se desenvolver (decorrido algum tempo) no mesmo órgão ou se espalham por outros órgãos?...    
Nota: não poderia também, ter ocorrido nesta cirurgia um desrespeito a Vontade Divina, uma interferência abusiva?

  
Quem desconhece a condição em que muitos ‘dependentes’ se colocam de não poderem mais, em momento algum,
ingerir a substância(s), por conta de poderem reacender o “vício”?...


Onde não se encontra a consciência,
que implica e abrange em extirpar e transmutar 
da raiz do desequilíbrio/"doença" e suas consequências,
alimentamos a dependência e seus disfarces/agrados.
ArqueiroHur


ps: particularmente, já presenciei e participei de diversas ações de limpeza
(dos mais diversos níveis e situações), 
onde pela falta de consciência dos participantes,
o “quadro/aspecto” que se apresentava retorna, inclusive com mais intensidade, 
pela permissão, interesses e postura mantidas.      


Se eu... ? - II


Postagem original, em 06.09.2014



Se eu... ? - II

Se eu, ao perceber e ou ter-me sido apontado
qualquer aspecto ou “falha”,
fico indignado com a descoberta
(minha ou alheia)
e reajo pelo sentimento de brio afetado
(fazendo pirraça, “beicinho”,
não atuando sobre o revelado e etc.);
de que valeu o Meu SENTIR/voz interior
e a ação do Universo Evolutivo?...


Este é um dos processos que nos mantêm
andando em círculos:
o orgulho.


ArqueiroHur