INFORME

Mediante os movimentos aos quais devo proceder e acatar, em respeito a vocês, meus Queridos Irmãos (ãs), ainda estou aqui. Entretanto, pode acontecer que as postagens não ocorram de forma como vinham se dando: diariamente.
Desta forma, não estranhem caso haja tal situação.
Que a Ordem Divina, permaneça em nosso caminho.

sexta-feira, 3 de março de 2017

Pequenos Pensamentos - CCVII


Postagem original, em 10.01.2013


           Pela leviandade humana,
           que só preza aos seus interesses:
           tudo o que fuja dos seus princípios 
           e padrões de beleza, convencionados,
           ou que se denote seriedade;
           é encarado, visto e definido
           como "carrancudo", excessivo
           e temeroso/assustador.
           Como se a presença Divina
           não se encontrasse ali,
           em cada uma das
           suas Criações.
           Em todos os Reinos e espécies.
                                                                        ArqueiroHur



Artistas da vida



Postagem original, em 07.05.2013


Artistas da vida

Queridos filhos,
cada um na individualidade apresenta
no palco da vida suas interpretações.

Revestem-se de acordo com o que estão a contracenar,
por vezes por repetições, sem rever.
Adaptam-se a personagens 
(tímidos, extrovertidos, agressivos...
bons samaritanos, curadores, gurus...
representantes da “lei e justiça”, “capacitadores”, 
exemplos de conduta e valores... ),
escondendo-se e ou procurando obter o seu interesse.

É a arte de dissimular,
negando o SENTIR 
e disfarçando as intenções.


O TODO?
Não tem como o ego interpretar.
ELE é REFLETIDO e EMANADO,
sem “papéis” ou personagens.
Sem “meias-verdades”, manipulações ou atrativos.
  
Cabendo a cada um, SENTIR a LUZ do AMOR
no aconchego, quietude, silêncio do coração,
e SER no e pelo TODO em tudo e todos.
Fiquem na Paz e LUZ do meu AMOR
Francesco, o Mentor
Por Lei-Fio



A confluência do TODO

Postagem original, em 25.08.2013



A confluência do TODO

No TODO nada anda em separado,
podendo “se dar por si só”,
sem a interação com o seu redor ou além.

Basta observarmos o nosso próprio corpo e seus órgãos, 
para entendermos.

Você considera que algum destes órgãos do nosso corpo
funcione de forma autônoma,
sem comunicação ou relação com os outros?...

Será que o coração pode bater sem o sangue
enviado/filtrado pelo fígado?...

Como o intestino pode criar as enzimas
e "separar" o que não nos serve,
se o estomago não deixar passar o alimento
ou sem tritura-lo?...

Iríamos poder andar/caminhar e correr
sem o “comando/entendimento” e harmonia
do cérebro e pernas para tal?...

Então, o corpo físico é “um pequeno universo” em si,
onde cada órgão tem sua função individual,
mas interagindo/interligado com os outros órgãos,
formando este “todo”/corpo;
que por sua vez interage com “outros corpos”
(universos pequenos ou não, vide Mãe Terra),
tanto energéticos 
(seus ou alheios),
como físicos e dos mais diversos reinos;
que também interagem com outros e outros,
e assim perfazendo o TODO...   


Enquanto ainda na ignorância dos conceitos,
(primando pelos desejos e interesses mundanos
e momentâneos,
desconsiderando a energia e suas vibrações)
e ou pela escolha e vontade,
a interação se dá dentro de uma frequência
mais densa e limitada,
que impede/dificulta a ação/percepção do TODO,
do Universo Evolutivo e do SER eterno.

Ou seja: a confluência/sintonia
ocorre para a manutenção do estado vigente
(da ignorância dos conceitos, da “mortalidade”,
dos desejos e vontades)
do egoísmo/individualismo.

É por onde no corpo físico surgem,
as assim qualificadas, disfunções físicas.
Que é quando um órgão, ou mais de um,
deixa de efetuar sua tarefa/função,
vindo a sobrecarregar aos demais órgãos,
afetando ao "todo"/corpo.
Chegando, em algumas situações,
à falência do corpo, inutilizando-o...   

Muitas das vezes, esta falência/inutilização do corpo, 
por fazer parte de um conjunto 
e se dar de forma prematura
(pelo uso de drogas, álcool e ou excessos de todos os tipos...),
afeta ao SER,
que sem ele, não pode mais efetuar suas tarefas  
assumidas diante do Universo Evolutivo,
que por sua vez, é afetado por tal contingência e falta.   

Ou seja:
o afastamento/distanciamento da humanidade de si mesmo 
e do TODO,
é algo que,
mesmo daqueles que fizeram esta opção do individualismo,
repercute/reverbera no TODO...


Então, que o rever individual seja orientado, regido
e guiado por esta consciência do TODO.
Que  conflua para e junto d'Ele.


ArqueiroHur



As dádivas ignoradas

Postagem original, em 17.11.2012



As dádivas ignoradas

A Luz não ‘se dá’ por esperar algo
e nem espera para ‘dar-se’.

Pela máxima do “é dando que se recebe”,
responda:
O que você ‘deu’ para a Criação, a fim de poder estar aqui, 
neste agora, com a dádiva da vida 
e com a graça da oportunidade de crescer, evoluir?...



Incutiram-lhe que ‘é dando que se recebe’,
fazendo-o crer que tudo se desenvolve
na forma da barganha,  do interesse, do “direito a receber”
por ter-se feito algo; criando a dívida e o ‘cobrador’;
e com esta cobrança e dívida, surgiu também o 'medo'.
É o 'medo' está aí, na incapacidade da 'pagar' e assim
ficar 'na mão do outro', fazendo de tudo para que 'ele',outro, fique 
na sua mão em contrapartida.
Porém, olhe bem para a sua vida e veja o quanto você 
(como humanidade e individualmente) 
já  recebeu sem ter dado nada em troca?...



Sim! A Criação com seu AMOR nos deu (e dá) a vida!
A LUZ, sua proteção. O Universo Evolutivo o amparo,
os ensinamentos...
E o que você ou a humanidade ‘deu por isto’?...
A Criação lhe ‘pediu algo’ pelo AMOR que dispõe ou,
forneceu o ‘livre-arbítrio’ a liberdade de escolha e ação?...

Não! O AMOR da Criação e dos que estão UNO no processo Evolutivo nada nos pede pelo que nos dão,
pois o AMOR VERDADEIRO apenas é!
Nada espera ou visa, é livre de interesses .



Olhe o mar que, 
mesmo com toda a maldade humana e sua poluição, 
continua sendo Ele, belo e cheio de vida.

Escute um passarinho que, 
mesmo engaiolado pelo “prazer humano”, 
continua a cantar para o seu algoz.

Agora, perceba ‘a quem’ você está servindo por
‘esperar algo’ pelo que faz (ou fez)
e observe/SINTA a
dádiva da vida, do AMOR VERDADEIRO
que a Criação nos dá.
ArqueiroHur