INFORME

Mediante os movimentos aos quais devo proceder e acatar, em respeito a vocês, meus Queridos Irmãos (ãs), ainda estou aqui. Entretanto, pode acontecer que as postagens não ocorram de forma como vinham se dando: diariamente.
Desta forma, não estranhem caso haja tal situação.
Que a Ordem Divina, permaneça em nosso caminho.

sábado, 17 de fevereiro de 2018

Pequenos Pensamentos - CCXVI


Postagem original, em 08.02.2013


           Só quem "aceitou" o caminho
           e a ele se lançou,
           percebe a transformação em Si.

           É..., 
           somente quem permitiu rever-se
           e que se viu 'ignorante',
           rompendo com 'seus medos', 
           abriu as portas 
           para a consciência em Si se instalar.

           O conhecimento sem aplicação,
           sem a entrega ao "conhecido"
           não produz nem atrai LUZ,
           nem deixa o AMOR atuar.
                                    ArqueiroHur



O HOJE e a permissão

Postagem original, em 25.12.2012



O HOJE e a permissão

Queridos Filhos,

Não é este ou aquele,
o "tempo" de estar na sintonia do AMOR.

O AMOR É A ESSÊNCIA DE TODOS OS DIAS!

Iludem-se com os momentos passageiros,
endividando-se e comprometendo-se,
nos mais diversos aspectos e níveis,
em suas ilusórias criações formatadas
(datas: isto, disto e daquilo e ou "especiais").

Revejam!

Recomecem e caminhem
no NOVO em CONSCIÊNCIA de quem são.

Filhos queridos, GUERREIROS DA LUZ,
sintam o TODO que sempre esteve
e está em tudo;
no nascer do hoje/agora conscientes do SER,
que realiza em vocês à partir do vosso permitir.


No hoje/agora em todo tempo dos TEMPOS,
QUE A LUZ DO AMOR os envolva.

Francesco, o Mentor
por Lei-Fio




O vampirismo energético e Aquele que está só é inocente

Postagem original, em 12.04.2014



O vampirismo energético

Todos temos um conhecimento, e por ele um certo temor,
dos vampiros com predileção por sangue;
que podem nos levar ao óbito pela sucção do nosso sangue
ou a sermos um deles, pela manipulação e ou indução.
Mas, quanto ao vampirismo energético,
pouco ou nada dispomos, até mesmo, 
por não nos considerarmos/reconhecermos, atuarmos
e nos respeitarmos como energia.

Só que este vampirismo energético possui características
bem semelhantes ao do “vampiro sanguíneo”,
e se dá disfarçadamente, porém efetivamente em nosso dia a dia:

- “sermos um deles”, mantendo-nos atrelados, sintonizados
e vibrando numa frequência baixa, densa; 
de ignorância, do ter e medo de perder/egoísmo.
(é extremamente comum esta prática, tanto que é difundida e estimulada socialmente; 
mas não assumida)  

- “sucção” da energia daqueles que foram à óbito por
"situações extremas", como pela violência e abusos (drogas/vícios, sexo...).
(prática efetuada pelos “escuros”, que se valem da ignorância social e coletiva a que estamos (fomos) submetidos)


Vejamos estas palavras de Krishnamurti, de um texto que está
na integra mais abaixo:
“... Nós não estamos sós.
Somos o resultado de milhares de influências,
milhares de condicionamentos,
heranças psicológicas, propaganda, cultura.
Não estamos sós 
e, por isso, somos seres humanos de segunda mão...”

Enquanto não reconhecermos e aceitarmos
a formatação em que “fomos criados” aqui,
para dela podermos nos desfazer;
não perceberemos que:
ao tentarmos impor nossas vontades e conceitos
e ou realizarmos nossos desejos,
atuamos como vampiros,
procurando fazer com que tudo ocorra dentro da vibração
em que estamos,
inclusive manipulando as situações ou as pessoas para tal.
Seja com chantagens emocionais ou com artimanhas mentais.

Então, ao invés de “temer os vampiros”, 
deve-se entender o vampirismo energético,
para perceber/reconhecer suas ações
e aí sim, ter condições de combatê-los.
Rompendo com este círculo vicioso imposto pela sombra,
permitindo ao nosso Ser e a LUZ do Universo Evolutivo
guiarem o caminhar.

Deve-se ter o entendimento de que 

tudo o que não traga LUZ 
(clareza, Verdade, igualdade...),
bloqueia a seu fluxo;
sendo assim, um vampiro energético.


Cabendo a pergunta:
- Você se reconhece como um “vampiro energético”,
quando compara, inveja...;
quando faz de tudo para ter a “sua felicidade”?...

Sem o reconhecimento do nosso estado aqui, somos realmente de "segunda mão";
pois, tanto nos permitimos ser "sugados", manipulados por "vampiros",
como em outra via, procuramos reproduzir estas mesmas
condições aos outros e ao meio,
sendo desta forma também "vampiros".
Enquanto que como "seres humanos", 
deveríamos ser a representação do AMOR, da VERDADE, 
da IGUALDADE e JUSTIÇA da Criação 
(sua imagem e semelhança);
e não esta caricatura e instrumento da sombra, ignorância
e egoísmo que em prática nos tornamos.

ArqueiroHur

Nota - 1: o que diferencia e distingue a "sombra" dos "escuros", é o propósito pela necessidade.
Pois os "escuros" necessitam desta energia densa para sobreviver. Ela é o seu alimento, assim como nós, humanos,  necessitamos do ar, da água e dos outros reinos (animal e vegetal como alimento) para sobrevivermos aqui, encarnados.
Enquanto que a "sombra", não necessariamente sobrevive por ela ou dela, apenas se mantêm e se engrandece nela.
Nota - 2: nem a "sombra" ou a "escuridão" têm atitudes contundentes, efetivas que levem a algum humano a encerrar sua passagem aqui (óbito), pois isto iria ferir diretamente à princípios da Criação e à sua Vontade, desencadeando atitudes de reação por parte do Universo Evolutivo,
que a eles não interessam muito, já que não lhes seriam agradáveis.
E é por esta razão, que eles atuam com a atração/manipulação/indução. 
Efetuando seu propósito com e em aqueles que se permitem/permitiram. 
São estas permissões (individuais ou coletivas) que levam ao óbito.  



  
Aquele que está só é inocente

Um dos fatores do sofrimento
é o extraordinário isolamento do homem.
Você pode ter companheiros, pode ter deuses,
pode ter muito conhecimento,
você pode ser extraordinariamente ativo socialmente,
fazer fofocas intermináveis sobre política
– e muitos políticos fazem fofoca de qualquer jeito –
e este isolamento permanece.

Assim, o homem procura descobrir significado na vida
e inventa um significado, um propósito.
Mas o isolamento ainda permanece.

Então, pode você olhar para ele sem comparação,
apenas vê-lo como ele é, sem tentar correr dele,
sem tentar encobri-lo, ou fugir dele?

Então você verá que o isolamento se torna algo inteiramente diferente.

Nós não estamos sós.
Somos o resultado de milhares de influências,
milhares de condicionamentos,
heranças psicológicas, propaganda, cultura.

Não estamos sós e, por isso, somos seres humanos de segunda mão.


Quando se está só, totalmente só,
não pertencendo a nenhuma família, embora você possa ter uma,
nem pertencendo a qualquer nação, qualquer cultura,
a qualquer compromisso particular,
existe o sentimento de ser um estranho,
estranho a toda forma de pensamento, ação, família, nação.

E apenas aquele que está completamente só é inocente.
É esta inocência que liberta a mente do sofrimento.

J. Krishnamurti, The Book of Life 


http://www.jkrishnamurti.org/pt/krishnamurti-teachings/view-daily-quote/20140406.php?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+JKOnline_DailyQuotes_PT+%28JKOnline+RSS+PT%29



ESPINHOS - Revisto


Postagem original, em 18.12.2011


ESPINHOS - Revisto



Muitas flores e ervas medicinais têm espinhos... 
Isto é bom?... 
Será ruim?...
Não sei! E não me importa isto... 
Só tenho a consciência de sua existência e de 'o espinho'  é parte daquele SER.


Eu, sendo responsável por cada ato meu e preservando meu TEMPLO (corpo) procuro, quando tenho a necessidade de colheita, ficar atento e me protejo... 

Não deixo de colher, nem ignoro a existência dos espinhos... Sem no entanto, ter de "qualificá-los" ou  denominá-los como sujos, falsos, traiçoeiros, enfim..
Eles estão ali, são da planta. 
É da Lei da Natureza, da Criação.
A minha questão, é percebê-los e SENTI-LOS para evitá-los, saber cuidar de mim... 
E não julgar os "espinhos", pois, julgando-os, estou também o fazendo quanto a Criação...

Mantendo esta consciência, simplesmente efetuo o que “tenho” de efetuar (é necessário). 
E quando não tenho "nada" para fazer com aquela planta ou flor, apenas a observo ou a admiro sem "interagir" fisicamente com ela.

Por qual razão então, falamos tanto em energia e ignoramos os “espinhos” 
(diversos níveis energéticos) 
que nos cercam, fazem parte dos ambientes ou de algumas pessoas?...

Até quando estamos lendo/traduzindo algum texto (influência do meu mental); 
canalizando ou fazendo algum trabalho energético os “espinhos”, podem se apresentar. 
E se os ignoro, estou deixando a “porta aberta” para eles entrarem...

Quando colho sem precaução, me machuco, sangro... 
E se não cuidar, deixo infeccionar... 
E de uma coisa “simples”, boba, mas que eu ignorei; a solução pode ser somente a amputação, ou seja: 
o corte total do membro/parte afetada para que não se alastre e comprometa o todo.

E no aspecto energético, as “feridas” e suas conseqüências são as mesmas...

Não é mais o “tempo” de buscar as soluções para isto em alguém ou algo de fora.

Você é o responsável por você e por seus atos, podendo não só curar as infecções do passado, como deve aprender a evitar novas “feridas”. 
Isto é consciência: não só "limpar", mas evitar.

Se você realmente se AMA, respeite seu TEMPLO e não negue a existência (aqui neste Plano) dos “espinhos”, inclusive os seus.

Negando, ignoro!... 
Ignorando não revejo, não transmuto, nem Evoluo!

A energia (tanto “espinhos”, como a LUZ) não sai de férias ou fica cansada! 
Ela simplesmente É!... 
Estando presente em cada fração de segundo da nossa vida.

A ATENÇÃO a isto, não pode ser devida e apreciada somente em alguns momentos do nosso dia!... 
Quando necessito ou me entrego à LUZ... 
Tendo no "restante do meu tempo", uma conduta de me permitir, me abrir para "saciar" meus desejos e  "vontades" ou carências.  

- Quem irá "retirar" os espinhos que permiti, por vontade própria, que se colocassem em mim?

- Ficarei "feliz" com a amputação necessária?

- Assumirei minha responsabilidade em todo o processo?

A interação com o ambiente e pessoas, é uma via de “mão-dupla”! 
Porém, quando não reconheço isto e “me deixo levar”, mais recebo do que dou. 
Acabando por “ser” mais eles, do que EU! 

Que a Verdade Divina guie e caminhe em seus passos!
ArqueiroHur