INFORME

Mediante os movimentos aos quais devo proceder e acatar, em respeito a vocês, meus Queridos Irmãos (ãs), ainda estou aqui. Entretanto, pode acontecer que as postagens não ocorram de forma como vinham se dando: diariamente.
Desta forma, não estranhem caso haja tal situação.
Que a Ordem Divina, permaneça em nosso caminho.

sábado, 22 de julho de 2017

Pequenos Penamentos - CCLXXIX

Postagem original, em 14.08.2014


Toda compreensão e ou "mudança",
deve ocorrer em concomitância
com a 
percepção da energia/vibração envolvida.

Pois, sem esta identificação da vibração,
podemos ficar somente no 
"campo do conhecimento",
sem assumir/incorporar a consciência;
atuando pelos moldes
de ignorar/desconsiderar, na prática,
a energia.
Sintonizando, ainda, 
com aquilo que "dizemos"
querer evitar.
                                             ArqueiroHur



O que se diz e o que se É


Postagem original, em 09.05.2013



O que se diz e o que se É

Dizer, não é falar.

Dizer é sentir o SER,
e NELE SER.

Dizer que é,
não quer dizer que se É.

É, é estar em SI
(consciente e em harmonia com o TODO,
sendo Verdadeiro e respeitando a Vontade Divina).

Dizer por dizer,
é propagar o que não É.

Ser é ESTAR consonante, consciente 
e entregue ao SENTIR,
e permitir a LUZ do AMOR DIZER em SI
em todos os momentos,
em cada ato efetuado.

Luz do Sol

Por Lei-Fio


Nota do Arqueiro: é muito comum a repetição de palavras ou frases,
tanto por conveniência, por modismo ou pela indução,
sem se ter a noção/entendimento do que se esta dizendo/propagando
e ou sem se praticar aquilo que é dito/repetido.
Estas atitudes inconscientes não condizem com a proposta do REVER-SE
e da entrega ao SER.
Portanto deve-se ficar atento a estes hábitos e induções, 
para percebendo-os, ir se desvinculando deles.
Libertando-se destas vibrações 
e  permitindo que a vibração do seu SER atue em seu caminho. 



Transmissor ou receptor?

Postagem original, em 04.02.2016



Transmissor ou receptor?


O que você se torna quando se permite a vibração alheia, do externo, um transmissor ou um receptor?...

Somente se transmite a vibração na qual
se está sintonizado.

É bem simples:
se sou um revendedor (um feirante) e recebi laranja, não tenho como vender tomate, não é?!

E percebam que o que eu vou vender (transmitir), independe deste tão afamado ‘querer’, mas está vinculado ao que eu ‘recebi’ ou sintonizei. Pois embora ‘eu queira’ vender tomate, me agrade mais ou seja mais lucrativo, enfim..., o ‘meu fornecedor’ só pôde e ou pode me entregar laranja. 
É laranja que irei vender, pois é com ela que estou sintonizado.
Tenho de reconhecer isto, senão, posso tentar aplicar o preço do tomate na minha laranja, por imaginar/sonhar/pensar que é isto que estou vendendo: tomate.


É necessário romper com o conceito 
de que “envio luz” pelo meu querer e vontade.


“...E caso, ao ‘enviarem’, sejam vocês que precisem
da própria LUZ?... 

O que estão "enviando"?...

Como "enviar" algo que necessito e assim,
no momento não possuo?...

Com o que estou vibrando sem a consciência,
ignorando a Vontade Divina?...” 
-Uriel, em “Encontro”-



Somos receptores e transmissores a todo tempo, 
em qualquer situação.


Conceitualmente posso ter ‘as melhores intenções’, mas, por estas intenções estarem calcadas em conceitos, vinculadas as emoções (pela afinidade, parentesco e etc.), com o que estas intenções vibram?...

Lembro-me de uma situação onde uma pessoa ao reparar que uma lagarta estava se alimentado das folhas de uma roseira que lhe era de grande estima, e sendo ela possuidora do conhecimento de uma destas técnicas de energização, resolveu ‘fortalecer/salvar’ a sua roseira, ‘energizando-a’. E assim, ela se postou diante da roseira e promoveu a realização da técnica adquirida.
Ocorre que ela não se preocupou em retirar a lagarta da planta e o resultado, foi que a lagarta ‘recebeu a energização’, ficando muito mais voraz no seu apetite, refestelando-se na/da roseira.


Para que eu transmita LUZ, 
devo estar sintonizado Nela, sendo-A. 

... É, manipular a energia é algo totalmente diferente da consciência que nos remete a atuação sobre ou com ela.
Atuação esta, que se dá sempre de acordo com a Vontade Divina, sem interferências ou induções.


ArqueiroHur



Conhecer-se como energia, basta?



Postagem original, em 12.09.2011



Conhecer-se como energia, basta?

Conhecer-se como energia é fundamental.
Permite, que através desta descoberta e com o uso de técnicas, a mudança de vibração dos nossos corpos (limpeza e restauração).

Mas isto, de forma alguma significa consciência!

Um Ser consciente sabe que é responsável 
por todos os seus atos e pensamentos.
Sabe que estes, ou são orientados pelo Universo, 
ou  o afetam.

Desta feita, não se mantêm “pedindo” ao externo.
Seus atos são condizentes à sua consciência e SER.


Ele sabe o que é e que Ele é o AMOR.
Se respeita!


Simplesmente o SER consciente não se permite envolver 
em nenhuma sintonia
por mais “boba” que se considere, 
que venha afetar a sua vibração 
e por consequência, 
seu SER e ao Universo, no seu planejamento.


Seu "divertimento" é SER LUZ 
e observar e sentir o que os "olhos" não vêem.  


Seu foco é único: 
cumprir seu contrato/compromisso.
É para isto que Ele aqui está.
ArqueiroHur