INFORME

Mediante os movimentos aos quais devo proceder e acatar, em respeito a vocês, meus Queridos Irmãos (ãs), ainda estou aqui. Entretanto, pode acontecer que as postagens não ocorram de forma como vinham se dando: diariamente.
Desta forma, não estranhem caso haja tal situação.
Que a Ordem Divina, permaneça em nosso caminho.

Sobre o “MEDO”



É sabido que o medo leva a “fuga”, a dúvida,
ao se esconder...
Mas:
Será que o “MEDO” pode levar
a se “faltar com a verdade” (mentir)?...
Por quê?

Lembre-se: a sua resposta pode dar o “entendimento”
a alguém.





15 comentários:

  1. O medo pode sim nos levar a "mentir" e "omitir".
    Eu creio que o medo é pura insegurança, pelo "desconhecido". Quer dizer, por algo que não entendemos), falta de "consciência"(entendimento).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Interessante...
      Gostaria de "entender" melhor a sua colocação. Pois, não nos é "conhecido", desde criança, que a "falta da verdade" (mentir, omitir, dissimular...)nos acarreta consequências, como "a perda da confiança" e outras mais; e assim, ser "meio estranho":
      pelo medo do desconhecido, eu colocar a minha "moral" e princípios internos e externos (confiança e estima dos outros), o que "eu sei e SINTO" em jogo, ao faltar com a verdade?

      Excluir
    2. Bom, acredito que o medo de "encarar" a verdade (ter que "rever-se", inclusive os conceitos). É o que leva o sujeito a mentir, seja por conveniência ou manipulação. A consequência é a "omissão" da sua essência. A falta de reconhecer-se. O que requer, coragem para assumir-se, dentro da "verdade Universal", que nada tem egoísta, apesar do processo ser individual, a verdade abrange o todo.

      Excluir
    3. Permitam-me:

      Ora, é-nos conhecido desde criança que não devemos mentir/faltar com a verdade, sim. Ocorre porém, que é também desde criança que observamos os adultos fazerem o inverso... Não quero com isso justificar o foto de mentirmos, de faltarmos com a verdade.
      Pelos motivos que enumerei em meu comentário, endosso a fala de Luz Da Alma, quando esta diz que mentimos por MEDO de "encarar" a verdade e, por outro lado, por "conveniência ou manipulação". Isto afigura nossa prevenção; em usar a mentira como prevenção ou na má fé ao mentir (para safar-nos ou nos esquivar de de algo que nos cause algum dano...)

      Usee

      Excluir
  2. Eu diria que o “MEDO” é uma força ou paralisante!

    E nos leva a “faltar com a verdade” sim, com os outros e com nós mesmos...

    [Sim, porque, considerando que a Luz/que o Universo tudo vê e sabe, só aos outros e a nós mesmos mentimos].

    O MEDO paralisa-nos em várias situações, mesmo contra nossa vontade. Por isso, nos escondemos ou fugimos, nos “prevenimos” pela dúvida, por temer o desconhecido ou por não ter certeza do conhecido, ou seja, da “próxima” reação, situação, ação, nossa e dos outros. Daí a razão, concordo, do MEDO levar à mentira (a se faltar com a verdade).

    Achei Interessante a “preposição-pronominal” ‘se’ do enfoque/questão... [Será que o “MEDO” pode levar a se “faltar com a verdade” (mentir)?...], pois o medo tem dupla situação-consequência, sim:

    1) Por “medo” mentimos aos outros (Mente-se aos outros) – neste caso o medo coincide com a falta de sinceridade – melindramos, ficamos a dedos, não queremos dar ao outro motivo para “nos olhar diferente”, nos “julgar”, se afastar, etc.

    Neste caso assumimos um risco (pequeno ou grande, danoso ou não), e o sabemos: o da “bola de neve”, cuja consequência é certa (saber disso, porém, não nos exime da mentira).

    (Bom, mas é sabido que a falta de sinceridade ou mentira não é sempre/somente proposital; por prevenção, mas sim por má fé).

    2) Mentimos a nós mesmos (mente-se a “si” mesmo) – neste caso, o medo funciona como uma espécie de prevenção em relação ao engano, à ilusão, e leva à mentira.

    “Mentir a si mesmo” tem por consequência o não assumir-se enquanto Ser, o não reconhecer-se em sua natureza e/ou condição no mundo, a anulação de si diante do Todo, a manutenção de si numa situação ou condição aniquiladora do Ser; da Verdade interior e Universal.

    Usee

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, e noto, até por um exemplo de experiência que tenho em minha vida.
      Que a pessoa mente pela falta de consciência.(medo de se reconhecer e assumir a verdade). Nota:Penso que a consciência, não respresenta o "saber", porque saber, todos sabem que não se deve mentir,roubar,enganar etc... Consciência,é a aceitação da verdade, quando realmente se entende e aplica o que se "sabe". E neste caso, pra que ou o que temer? Se tudo é compreendido, aceito e praticado...E sendo verdadeiros não mentimos.

      Excluir
  3. Abrimos um "bom leque" sobre o assunto,
    "o “MEDO” pode levar
    a se “faltar com a verdade” (mentir)?...":
    - conhecimento
    - saber
    - prevenção
    - exemplo
    - defesa
    - paralisia
    - coragem
    - aceitação
    - rever
    - propósito
    - má fé
    - conveniência
    - manipulação
    - sinceridade
    - verdade...

    E agora, paramos por aqui?...
    Conseguimos "ver" outras vertentes?...

    Vejo esta questão do medo, como um mecanismo muito bem aproveitado...

    Em "nome dele", diz-se não ter coragem de "enfrentar o novo", de se rever, de assumir...
    Mas como se tem a mesma coragem que "falta"; para tentar "enganar", para desconsiderar aos outros, para "esconder" e se tirar vantagem?... Onde ficou o "medo" aí?...

    Que tal percebermos, dentro dos "apontamentos" já citados, outros ângulos?

    ResponderExcluir
  4. ... Sim, o medo é um mecanismo muitíssimo bem aproveitado!

    Somos levados a aceitar coisas, situações, condições de vida, por medo...Do mesmo modo, somos levados a mentira: a mentir, a viver na mentira, alimentar a mentira ou compactuar com ela.

    OPA!
    Mas que coisa!
    Estou justificando o medo e consequentemente a mentira que este potencializa!!
    É...é isso que acabamos fazendo o tempo inteiro, quando não temos consciência e entendimento; quando não assumimos nossa responsabilidade diante dos nossos atos, justificamos!
    Justificar é uma forma de mentir a nós mesmo, de omitir-nos, na(s) posturas que devemos ter, por medo...

    Mas...observando a ponderação do ArqueiroHur...Obviamente que a FALTA DE CORAGEM de "'enfrentar o novo', se rever, se assumir" é uma consequência do medo é uma marca muito pesada que o humano carrega, seria necessário saber sua origem, não pela "mera" curiosidade, mas para saná-lo, e por aí eliminar a desculpa do "motivo" da mentira.

    Usee

    ResponderExcluir
  5. Acredito que exista o medo de modo "aparente",(quando o indivíduo assume temer ou desconhecer), ou de maneira inconsciênte,(em não querer admitir que teme ou desconhece, pra não ter que se rever).
    O medo tem sua importância, porque sem ele, não haveria uma certa "prudência", e o cuidado em assumir certas fragilidades nossas. Não deixando de levar em consideração que estamos no aspecto físico da matéria com todas as suas terminações nervosas e estimulações provocadas por situações e fatores externos que nos causam sensações, diria que um pouco de medo em determinadas ocasiões é salutar e humano. Porém, quando ele nos causa desequilibrio, perturbações ou nos levam até mesmo a mentir,enganar,etc aí se torna prejudicial não somente a nós mesmos, mas também aos envolvidos, pois a mentira muitas vezes magoa, levando a consequências que bem sabemos. Por isso, que o equilíbrio de todas as emoções e sensações é tão importante, para nos dar discernimento e clareza em nosso sentir, atitudes e ações.

    ResponderExcluir
  6. Bem, amigos!Mentir? Acho errado...omitir? Faço muito, por medo, talvez... de magoar, de ter que receber sermões,p.ex.
    Se estou diante de um fanático religioso, eu omito a minha religião, a minha crença, respeito a crença do outro e omito a minha crença, estou mentindo ou omitindo?Ser transparente é o ideal mas é muito difícil conviver sem brigas com os nossos semelhantes, porque todos são donos da VERDADE.Todos pregam a verdade e ai daquele que
    contraria a m/verdade, então eu acho necessário omitir certas informações e assim a "Paz" estará assegurada e vamos vivendo"num faz de contas "

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, querida amiga,
      por nos trazer mais um ponto a ser observado.
      Minha Gratidão

      Excluir
    2. complementando:
      o ponto do "silêncio",
      em respeito ao outro.

      Excluir
    3. Achei bacana sua colocação sincera Carmem.
      Afinal somos humanos, suscetíveis a mentir, omitir e temer. Porém, encontrar o equilíbrio das emoções, é saber identificá-las, sem ultrapassar limites, usando do bom senso para com tudo e todos, mas, não deixando de sermos coerentes com a nossa verdade interior (coração ou essência).

      Excluir
  7. O Medo é a fuga pelo não entendimento de ser o SER, não há raciocínio, reflexão, apenas um corpo emocional que não cabe em si no desequilíbrio, na distorção da existência nessa atmosfera.
    Todas vezes que senti e sinto medo é porque estive ou estou perdida dentro dos traumas numa cultura na qual fui "ensinada" a ter perspectiva.
    Beijos a todos!

    ResponderExcluir
  8. Sobre o “MEDO”

    Sim, o medo pode levar a faltar com a verdade. Mentir primeiramente a mim mesma, para seguir e afirmar para o externo, para as pessoas.
    Por que menti e minto? Menti e minto pela sensação de desampara e de solidão, que por sua vez são traumas que não me adiantam ser revividos, e sim transmutados.
    Quando tenho a consciência de que estou prestes a cometer essa mentira, páro, reflito, respiro e busco o perdão bem dentro de mim para cortar esse vício.
    Por isso postei há uma semana atrás, dia 17 de junho, uma visão geral de minha conclusão, pois minha ansiedade foi tamanha que ignorei as perguntas.
    Um beijo a todos.
    Sobre o “MEDO”
    É sabido que o medo leva a “fuga”, a dúvida,
    ao se esconder...
    Mas:
    Será que o “MEDO” pode levar
    a se “faltar com a verdade” (mentir)?...
    Por quê?

    ResponderExcluir