INFORME

Mediante os movimentos aos quais devo proceder e acatar, em respeito a vocês, meus Queridos Irmãos (ãs), ainda estou aqui. Entretanto, pode acontecer que as postagens não ocorram de forma como vinham se dando: diariamente.
Desta forma, não estranhem caso haja tal situação.
Que a Ordem Divina, permaneça em nosso caminho.

Sobre a Transparência



Sobre a "TRANSPARÊNCIA"


A "transparência" é essencial para um convívio sadio
e é/está relacionada ao respeito.
Respeito à si mesmo e consequente aos outros.


Mas:


Há transparência quando fico preocupado
com o que ou outros vão achar/pensar de mim?...


Será também transparência, expor 
minha privacidade, o que faço ou possuo?





14 comentários:

  1. QUERO EM PRIMEIRO LUGAR ME FOCAR NA PONDERAÇÃO DA ENQUETE:


    A transparência é irmã gêmea da “sinceridade” (não é um jargão, ok? É o que penso mesmo! Rsss).

    Assim, sou sincera ou transparente quando, na minha relação com o outro, “me faço sabida nas ‘minhas’ intenções” em relação a ele, particularmente, ou em relação ao “tipo de vínculo” que tenho com ele (de amizade, amoroso, de trabalho, educacional, esportivo, religioso, etc.).

    Porém, alguns aspectos precisam ser pontuados em cima da afirmação da “enquete”: nesta, a transparência está sendo tomada como “condição para um convívio sadio” e como condição para que haja “respeito” a “si mesmo” e “aos outros”. Leva-me a pensar o outro ou os outros “apenas” como aquele (s) com o (s) qual (is) tenho uma relação/relacionamento direto; “convívio”.

    Entendo que a noção de convívio ultrapassa o limite da “pessoalidade/intimidade” que me vincula ao outro ou aos outros, pois “convivo” não só com pessoas, mas também com outros seres e situações.

    Nesta perspectiva; da abrangência, a “transparência” implica “clareza”, e aí preciso responder-me as seguintes questões: “quem” ou “o que sou” eu para os outros? Qual é minha intenção na relação com os outros? A que tipo de intimidade me dou/permito, na relação com o outro? Sou “deferente” ao outro na sua “condição de outro” (diferente de mim)?

    Se (quando) consigo responder a estas questões conjuntamente, seja em relação a uma só pessoa ou em relação aos demais “outros” e situações, então posso ter certeza de que, do meu lado, estou dando ao outro a condição de me ver abertamente, claramente, independente de sua reciprocidade (para ser transparente da minha relação/convívio eu não careço nem devo esperar reciprocidade, muito menos condicionar-me a isto).

    É por esta via vou compreender e vivenciar as outras variantes da transparência (integridade, moralidade, decoro, sinceridade, etc.), e ter o entendimento do que me é devido em relação ao meu modo de ser com os outros.
    Obviamente que este entendimento advém da consciência. É ela que nos leva a atuar com transparência.


    BOM, MAS VAMOS AS QUESTÕES LEVANTADAS NA ENQUETE:


    [Mas: * Há transparência quando fico preocupado com o que ou outros vão achar/pensar de mim?... *Será também transparência, expor minha privacidade, o que faço ou possuo?].

    A primeira pergunta já é bem sintomática: se fico preocupada “com o que os outros vão achar/pensar de mim” é sinal que não sou nem um pouco transparente, que me escondo e me fecho, que não sou clara no meu jeito de ser, relacionar, portar ou nas minhas intenções.

    Já a segunda questão... Bom, “privacidade!”, a noção já diz tudo. A “privacidade” é minha, “é só da minha conta”, “só a mim pertence e cabe”, assim, deixar ou não que os outros saibam é uma decisão muito pessoal... Há quem (se) expõe e faz questão, pelos motivos mais diversos...Fazer o quê!?

    Espero ter contribuído para a discussão.

    Usee

    ResponderExcluir
  2. A transparência reluz o SER quando o medo é entendido e vencido, é a vitória sobre o medo, portanto envolve todo um "parto" no entendimento humano para alcançar o seu equilíbrio para SER o que se É.
    Beijos a todos.

    ResponderExcluir
  3. O problema que vejo, são os "conceitos" de que devemos ser como os outros querem, pensar e agir como eles, para então ser "aceitos" e considerados "normais".
    Porém, onde fica nossa verdadeira face?
    A transparência sempre revela o que somos diante do "espelho", pode até haver tentativas de disfarces para "encobrir" o que somos ou estamos tentando "representar". Aí no caso, tem muita gente que assume identidades alheias, revelando uma "falsa" transparência.
    Ao meu ver, quando fico preocupada com o que os outros vão achar ou pensar de mim, pode ser por variados motivos : Timidez, vergonha, insegurança etc.
    O que não me impede de ser "transparente" se eu for sincera e revelar meus motivos dizendo a verdade.

    Quanto a expor minha privacidade, o que faço ou possuo...Pode ser por falta de assunto e querer se "interar" ou se "fazer notar", como também pode ser para aparecer mesmo, um artifício do ego que é bem vaidoso, ou ainda, para se "chorar", pois no mundo há um conceito bem popular que diz :"quem não chora, não mama" e etc... Nestes casos, acho bem difícil ser transparente com os outros, porque há uma intenção por detrás de muita exposição, não deixando "transparecer" o que verdadeiramente se quer.

    Abraço a todos, paz e luz.

    ResponderExcluir
  4. Há também um outro lado da história, quando "não nos enxergamos", aí não somos transparentes na maioria das vezes, principalmente conosco, porém em determinados raros momentos, a nossa voz interior nos revela, e se decidirmos escutar, é hora do rever e assumir nossa transparência,(quem somos, perante a nós mesmos) e consequentemente "quem" iremos representar perante o mundo...

    Um bom dia pra todos (*_*).

    ResponderExcluir
  5. Estou pensando...pensando, se conheço alguém maravilhosamente transparente, acho que não...a transparência está ligada também ao medo, sim ao medo de ser invejado, de não ser compreendido, medo de ficar muito exposto, enfim, sempre aparece o famigerado medo...Amigos, vcs.acreditam que tem gente que tem medo de ser FELIZ?
    Então, como entender de transparência se não conseguimos dominar o medo e entende-lo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, pra ser totalmente transparente é preciso assumir-se perante a si mesmo , tudo e todos. Pode-se até ter medo e ser transparente, se deixar transparecer que sentimos medo, ou revelarmos isso. Acredito que a transparencia está mais associada a sinceridade, em ser honesto e verdadeiro.
      Nesse caso a qual você se refere, "medo de ser invejado, de não ser compreendido, ou de ficar exposto", não levaria mais a uma ação de "cautela", do que exatamente o medo? Pelo fato de que penso ser bem difícil não deixar "transparecer" o medo, ou disfarça-lo, encobri-lo.
      Aí, acho que entra uma série de fatores: Ser "transparente" a tudo e todos o tempo todo? Ou em alguns casos específicos, por ex: com outras pessoas, com as energias e outros seres que nos circundam, ou com nós mesmos.
      Acho que pra cada uma dessas situações é preciso revisão do que se sente e deixa transparecer, assumindo ou não a identidade assumida.
      Mas, gostaria de entender melhor o seu ponto de vista em associar o "medo com a transparência", porque pode ser algo de importante revisão.
      Beijos.

      Excluir
  6. Amiga, p/mim, ser transparente, só com o Criador de quem eu não tenho medo algum e para quem eu falo TUDO, mesmo sabendo que ELE me criou e me conhece, eu tenho uma necessidade enorme de falar dos meus defeitos, dos meus medos, das minhas angústias, dos meus desejos, da minha ânsia de saber tudo o que eu puder do mundo espiritual, da minha saudade, da minha solidão...Eu acho que, nunca eu chego a orar como os outros, eu converso muito com Ele,aí eu sei que sou transparente, porque não há nenhum segredo que Ele não saiba...e nenhum "Medo" Um grande abraço,

    ResponderExcluir
  7. Entendo, é como ter medo de muito se "expor" e em troca receber críticas, julgamentos ou condenações.
    Analizando a resposta da Carmen, me veio uma questão em mente, será que é possível ser trasparente sem muito se expor?
    Aí pensei, nos seres de luz (nível superior), como os arcanjos, anjos, mestres e etc. Eles não deixam de ser transparentes mesmo sabendo que estão lhe dando com seres de nível menos elevados, ou seja, eles transparecem o que são, porque assumiram se reconhecer, elevando suas consciências, obtiveram o entendimento, eliminando a dúvida, o medo, etc, sentimentos que nos causam bloqueios, nos prendendo a um circulo vicioso, que enquanto não quebrado por uma nova atitude e conduda, ficamos "presos" e limitados.

    ResponderExcluir
  8. Medo
    Mentir / Falta da verdade
    Transparência / Ser transparente como forma de respeito...

    Sem dúvida que estes aspectos da relação humana inquietam, desconfortam... A prova disto está aqui neste “cantinho”, em resposta a “enquete”: os argumentos e justificativas de cada um dos que participaram da discussão.

    Obviamente que achei importante o leque de justificativas expostas, a começar pela minha (sobre as questões levantadas), sobretudo pelo que elas revelam:
    • Nós nos apressamos sempre em “justificar” o “motivo” de reagirmos e procedermos “assim ou assado”, por este ou aquele motivo/ esta ou aquela razão.

    Por que será que não nos damos conta do que está no fundo de cada uma destas atitudes, do fato de falar tanto, sem que tenhamos coragem de nos assumirmos ali, onde mais “pecamos”?

    É assim que acontece!

    Mentimos e/ou faltamos com a verdade, somos transparentes ou não, por medo, por temer reações, por (supostamente) querer preservar (a nós e aos outros), por temer consequências... E é mais cômodo/fácil justificar nossa falta de “coragem” em fazer o que deve ser feito a ter que assumir a verdade e a mentira, a transparência ou falta de transparência, para com nós mesmos e diante dos outros – assumir que não é nossa consciência e entendimento que nos dirige, mas sim a consciência coletiva a qual nos submetemos ou damos o endosso através da adesão...

    Sim! Este é o “jogo”! Ou como diz o ArqueiroHur em muitos de seus escritos e falas, estas são as “escoras”, e eu entendo, estas são as desculpas (muito conveniente!), que o nosso ego produz e se agarra.

    Em razão disto, mesmo sabendo das consequências dos nossos atos e atitudes, optamos pelo lado que violenta nosso Ser e violenta aos outros:

    Ao exercer o direito de mentir/faltar com a verdade, ao deixar de ser transparentes estamos, ao mesmo tempo, subestimando, menosprezando, desprezando, desrespeitando, ignorando e violentar o outro, ali, onde nos caberia ser transparentes, sinceros e verdadeiros. Insistimos em mentir, nos esconder e nos achamos justos e corajosos... E ai de quem nos contrariar de alguma maneira!!

    Convém nos revermos ali, onde mais falhamos...

    Boa noite!

    ResponderExcluir
  9. Sim querida, acredito que seja por isso que estamos aqui, onde cabem váriados níveis de consciência e evolução, para também "aprendermos", a entender e transmutar esses sentimentos. Atravéz do rever é que se torna possível, perceber nossas "falhas".

    Para então, atuar com consciência, chegando-se a um estágio de sentir todas as energias ao nosso redor, e ou em nós mesmos.

    Pois não estamos sós, há tantas energias que nos circundam e se estivermos "vulneráveis" a elas, somos "invadidos" e ficamos "perdidos", porque simplesmente não sabemos identifica-las.

    É importante "exercitar" o equilibrio, a disciplina e a observação de tudo, aguçando nossos sentidos, para sabermos como agir, a partir do momento que "reconhecemos" nossas falhas e ao todo.

    Tenha uma ótima noite.
    Abraço , Paz e Luz.

    ResponderExcluir
  10. Há transparência quando fico preocupado
    com o que ou outros vão achar/pensar de mim?...
    No começo, assim que comecei a refletir a respeito da pergunta, eu considerava que não.... pois eu tinha a preocupação de ser transparente, então, era mais uma obsessão pela imagem do que a transparência propriamente dita. Passar a imagem de ser transparente.

    Será também transparência, expor
    minha privacidade, o que faço ou possuo?
    Acredito que dependerá da intenção. Se meu objetivo é prosseguir com uma postura sincera, usar meu exemplo de vida para ajudar alguém, considero estar sendo eu transparente. Caso contrário.... se for para promoção de imagem, estarei mantendo uma farsa.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Amigos, Bom Dia! Está muito difícil chegarmos a um ponto de entendimento,com relação a "transparência"...p;ex: a "a verdade, ninguém gosta de ouvir" e aí o que acontece, todos nós passamos a mentir e omitir, para não sermos desagradáveis e intolerantes com nossos semelhantes.
    Todos, na verdade, querem ser amados, aceitos, considerados lindos e perfeitos...Defeitos? eu não tenho é sempre o outro que os tem. Eu continuo "linda e maravilhosa" rsrsrs e mentirosa...Estou chegando a seguinte conclusão, ninguém é tão verdadeiro neste mundo...É como eu já disse antes, só consigo ser verdadeira e sem medo, quando me comunico com o Criador, fora disso é como se eu estivesse pisando em ovos, todo cuidado é pouco, medo de me expor, medo de magoar, medo de ser intolerante (e isso eu tenho bastante) aí então, eu chego a seguinte conclusão:"medo e transparência andam de mãos dadas" abços.

    ResponderExcluir
  12. SIM!!

    É "SIMPLES ASSIM"!!
    É BEM ASSIM!


    E EU...SEI QUE TENHO OUVIDOS E OLHOS...

    ENTÃO...QUE EU SAIBA VER/PERCEBER COMO TEM QUE SER...
    TENHO PERCEBIDO...TENHO PERCEBIDO...!!

    ResponderExcluir
  13. A cada dia uma nova oportunidade nos é ofertada, de sermos "transparentes".

    Porém com consciência, é que superamos o medo, a culpa, enfim, na auto-observação é que nos entendemos e decidimos apartir "deste dia", assumirmos o caminho da verdade.
    Que olha ao redor, porque conseguimos nos reconhecer e identificar o que nos cerca.

    É atravéz das influências, que reflete em nossas atitudes e reações, que iremos detectar, esse "dia" chegar.

    Quando no equilíbrio das emoções, o ego disciplinado conectado ao "SER" estiver, criando uma "egregora" de harmonia em torno de si. Fácil não é, pois é preciso o equilibrio emocional no exercício constante da disciplina.

    A persistência de a cada dia tentar, tentar e nunca desistir de seguir pelo caminho da "verdade universal", no exercício da paciência é que nos ensina e aguça a persepção, até que se esteja cumprindo o "prósito"(realizando o trabalho) com despreendimento , alegria e entendimento.

    Somente quando estivermos em equilíbrio, é que o Universo confiará a nós, as tarefas que pelo todo se dará.

    Muita Luz e Paz,
    Abraço a todos.

    ResponderExcluir