INFORME

Mediante os movimentos aos quais devo proceder e acatar, em respeito a vocês, meus Queridos Irmãos (ãs), ainda estou aqui. Entretanto, pode acontecer que as postagens não ocorram de forma como vinham se dando: diariamente.
Desta forma, não estranhem caso haja tal situação.
Que a Ordem Divina, permaneça em nosso caminho.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Pequenos Pensamentos - CXXVIII


Postagem original, em 27.12.2011


       Quanto mais você se voltar para um               
       "problema",
       que em geral é uma consequência,
       irás não só aumentar esta "bola de neve", 
       seu "peso",
       como se afastar da solução, 
       que é a sua causa.

       FOQUE-SE na LUZ, em SER
       sem racionalizar... buscar o "por que"...
       quem causou... onde está a "culpa"...

       E deixe o Universo atuar,
       dissolvendo a raiz dos impedimentos.
                                                                       ArqueiroHur



O SENTIMENTO DE CULPA - Revisto

Postagem original, em 06.10.2011


O SENTIMENTO DE CULPA - Revisto

São muitas as razões que nos levam a não perceber o que nos é ofertado: 
distração, o querer e desejo ser outro diferente do que recebemos, enfim...
Mas vou falar de uma, que afeta mais àqueles que buscam: 
É o sentimento de culpa!

Em geral, os que estão na busca possuem um nível de consciência interno (Ser), um pouco diferente do da maioria das pessoas que o cercam.
Este nível de consciência é mais exigente e não sabemos lidar muito bem com ele, pela “diferença” existente com o nosso meio. Costumes, valores, conduta, tudo é conflitante com o meio.

Este “meio” acabou nos dando uma formatação e ela sempre acaba em conflito com a nossa consciência interior (Ser), por se permitir a alguns “deslizes”: muitos, pequenos; outros de maior relevância, o que na verdade não importa ou convém esta avaliação. 
Não é este o objetivo aqui: medir nada!

Ficamos no nosso íntimo (Ser), ressentidos conosco mesmo pelos “deslizes” e quando eles nos são “apontados” geramos outras questões, como a vergonha e o sentimento de culpa.

Entretanto, partimos dentro deste quadro para a reação 
e não para o reconhecimento, 
em virtude da “formatação/ego” se julgar infalível. 
Só que aumentamos o conflito interno (Ser) ao mesmo tempo. 
Já que este havia feito sua observação de contragosto.

E esta “indignação” conosco mesmo, vai alimentando mais e mais a vergonha e o sentimento de culpa... 
Onde acabamos por repetir os “deslizes”, 
tentando desesperadamente afirmar a nossa “razão” (do ego), 
diante das conseqüências que surgem...

Alguns, neste exato ponto, podem estar afirmando: 
Mas não existem as “técnicas” e a Chama Violeta, para transmutar tudo isto?... 
Você mesmo, nos colocou-as! 
Então para que me preocupar: basta em qualquer momento, me utilizar delas, resolvendo a questão...

Não, meus amigos!...  
O que nos é pedido hoje É CONSCIÊNCIA! 
E isto significa se “rever”, procurar não mais repetir o que é indevido... 
As técnicas e a LUZ promovem sim a “transmutação” do indevido, mas não para que continuemos neste caminho de “deslizes”.

Deve-se entender que estamos no caminho e ter humildade, 
para reconhecer que ainda cometemos “deslizes” 
e assim, poder transpô-los.
A opção deste caminho é individual e Livre.

Mas com o “sentimento de culpa” e a “vergonha” imperando, ficaremos dentro deste círculo vicioso.

Reconhecer-se, perante si mesmo e o outro neste momento, 
é a abertura da Porta da Libertação e do Perdão Verdadeiro, aquele que reside em seu Coração.
E nenhuma técnica ou mesmo a LUZ, pode promover isto por você.

ArqueiroHur    

Obs: Visão baseada no texto: “Receba, Aceite e Agradeça”, de Ana Lisbôa.



O SENTIMENTO DE CULPA, por outro ângulo.

Postagem original, em 07.10.2011


O SENTIMENTO DE CULPA, por outro ângulo.

O que o homem fez, só o homem pode desfazer.

Ou seja: 
A LUZ só pode intervir pela consciência humana. 
No mais, Ela só pode observar e apontar.

Assim o é conosco também... 
Qualquer ação deve ser dada pela consciência, 
pois, é ela quem pode “modificar” o formato/molde que adquirimos.

Então:
- Por que nos mantemos do jeito que nos moldaram?
- De onde vem esta culpa que carregamos?
- Seremos nós, realmente, os causadores das mazelas alheias?

“O SENTIMENTO DE CULPA NÃO LEVA A NADA! 
MUITO MENOS EVITA A REPETIÇÃO DO ERRO... 
SÓ FAZ CASTRAR A PERSONALIDADE, CONTRIBUINDO PARA O CÍRCULO VICIOSO... QUANTO MAIS CASTRADO, MAIS ERRO VOCÊ COMETE E NÃO ASSUME! 
COLOCA A CULPA NO EXTERNO (OFICIALMENTE), 
MAS FICA REMOENDO A CULPA E ISSO LEVA À DOENÇA.
- fala de uma amiga -

Alguns por outro lado, “gostam”, se “sentem” úteis ao resolverem todas as questões alheias, mas:
-Não estarão, mantendo este padrão, contribuindo não só com o vício alheio, como fugindo do seu?

Nós somos os responsáveis somente pelos nossos passos e entrega ou não do nosso destino à Criação.

Temos um exemplo maior, que é a crucificação de Jesus:
- Você considera Judas o responsável pelo desfecho na vida de Jesus?
Jesus era consciente do seu destino e o aceitou!

Raciocine: Alguém que era capaz de “curar”, entre tantas outras coisas, não poderia ter alterado, pela sua própria vontade, este desfecho?...
Ele (Jesus), ali, nos deixou o exemplo da entrega à Vontade Divina. Onde Judas, foi apenas um “meio” ou parte desta engrenagem... NÃO O RESPONSÁVEL!


Obs: Este exemplo, não significa que devamos ficar parados, resignados com os acontecimentos. Lembre-se de que Jesus, era consciência pura. E nós, devemos "trabalhar", pois, muito do que vivemos, são puras consequências da nossa ignorância, podendo assim, serem revistas.

Muito se pode tirar deste “pequeno fato”. 
Mas agora, foque-se e procure se libertar do fardo alheio. 
ELE NÃO É SEU!


Há muitas ferramentas disponíveis. Usem-nas com o propósito da libertação e crescimento. 
Peçam LUZ! O Universo é o grande aliado que possuímos. Procurem relaxar e banhar-se em água! 
Flutuem no som! Mergulhem na LUZ!
Só você pode obter a consciência disto e proceder para tal. Este desfecho é seu!


ArqueiroHur