INFORME

Mediante os movimentos aos quais devo proceder e acatar, em respeito a vocês, meus Queridos Irmãos (ãs), ainda estou aqui. Entretanto, pode acontecer que as postagens não ocorram de forma como vinham se dando: diariamente.
Desta forma, não estranhem caso haja tal situação.
Que a Ordem Divina, permaneça em nosso caminho.

domingo, 20 de novembro de 2016

Pois é..., falamos, pensamos e achamos, mas... – II – Respeito.

Postagem original, em 28.09.2014




Pois é..., falamos, pensamos e achamos, mas... – II – Respeito.

Pois é..., falamos, pensamos e achamos
que somos respeitosos aos outros e a nós mesmos quando,
permitimos que eles façam o que querem fazer
e quando “brigamos pelos nossos valores”;
mas será mesmo respeito, se o aspecto energético é ignorado?...
Se a imposição do querer, deles ou do nosso, afeta ao ambiente/TODO?...

As Leis da Criação da ação e reação e da causa e efeito não podem ser ignoradas; pois, elas são uns dos pilares para que a Justiça Divina se perpetue.

As invasões devem ser evitadas. Sejam elas da origem que tiverem.

... Energeticamente, quando “pensamos” em alguém,
estamos tanto abrindo o nosso corpo áurico, como também o do outro. Promovendo e permitindo, desta forma, invasões das mais diversas “fontes e vibrações”, nele, no alvo do ‘pensar’ como em nós.
E então, existe respeito a você mesmo ou ao outro nesta prática?...

Alguns podem estar se dizendo neste momento:
“- Mas eu só penso o bem para o outro.”

Em 1º lugar, o que “você pensa” é conceitual e se encontra dentro do “certo e errado” para você, do querer ou desprezar, do desejar ou ignorar...; condições que estão distante e muito, da Verdade Universal. Ou seja, o que é “bem” para você pode não sê-lo para o outro.
Além disto, onde fica a Vontade Divina no seu conceito?...


Pois é..., falamos, pensamos e achamos, mas...

A consciência fornece o entendimento desta via de mão dupla no aspecto energético (aberturas de portas). Não se modificando de acordo com a minha vontade ou interesse.
 
O respeito é revelado tanto na não interferência como na atuação para que a Ordem Divina se estabeleça.
E isto somente ocorre pela consciência/SENTIR;
não pela fala, pensar e achismo formatados pelas experiências na ignorância.

ArqueiroHur






Um dos PRINCÍPIOS do SER: RESPEITAR

Postagem original, em 07.04.2013




Um dos PRINCÍPIOS do SER: RESPEITAR

O querer ajudar está dentro de cada um,
é um dos princípios do SER, da compreensão/consciência 
do TODO, da natureza da Criação.
Que se traduz pelo:
Um faz pelo TODO
e o TODO faz pelo Um.

Ocorre  que por estarmos distantes deste
e de outros princípios da Criação:
“cremos que ajudar” vem pelos nossos conceitos,
dentro daquilo que “achamos correto”,
do que queremos e desejamos para nós mesmos
e procuramos de todas as formas e maneiras,
fazer valer o que julgamos ser devido
pelas nossa expectativas e apegos.
Esquecendo, desta forma, o que é necessário para "o outro",
como também, ignorando a proposta da Vontade Divina para Ele.
Ferimos, então, pelo anseio mal conduzido
e pelo impulso não freado,
à Criação, ao TODO,
àquele que ‘pensamos ajudar’
e a nós mesmos ( nosso SER).

Como esquecer que todos nós aqui encarnados,
estamos vendados
e que cada um, individualmente,
tem sua história, trajetória
e assim uma necessidade particular, sua,
única e diferente do “seu semelhante”,
no tocante as suas vivências?


"... A VOZ DA CONSCIÊNCIA SE DÁ,
QUANDO SE DISPÕE A BUSCAR 
O EQUILÍBRIO DAS EMOÇÕES
NO "RECONECTAR", "RECONHECER"
DO SEU VERDADEIRO EU "ESSÊNCIA".
PROCURANDO COM A "LUZ" SEMPRE
"SINTONIZAR" E CAMINHAR.
 
RESPEITANDO TUDO QUE HÁ AO SEU REDOR: 
NATUREZA, TEU "SEMELHANTE", 
OS ANIMAIS,
EM NADA INTERFERINDO 
OU PRETENDENDO "MANIPULAR".
 
POIS, A LUZ DO TEU CORAÇÃO
VEM DA PUREZA EM DOAÇÃO
SEM QUE HAJA QUALQUER TIPO DE "INTROMISSÃO", 
"INVASÃO"..."


OROMASIS, em 
"ONDE HOUVER TREVAS QUE EU LEVE A LUZ"
 
 
Quem pode saber e determinar o que “o outro” precisa,
além do próprio SER?...

E quem aqui, pode decifrar, traduzir, exprimir
e revelar esta necessidade,
além do próprio SER?..


Tenho, então, de aprender a RESPEITAR,
e devo começar este trabalho comigo mesmo,
rompendo com os conceitos e percebendo minhas imposições.
Aprendendo a me respeitar,
permitindo que meu SER revele o que me é necessário
e possa Ele, atuar no meu caminhar...

A partir daí, destes passos dados pelo meu SER,
irei poder ajudar a seja quem for,
auxiliando no processo de que
o próprio SER alheio revele, ao próprio, a sua necessidade
dentro da Ordem e da Vontade Divina.

"Muito ajuda quem pouco atrapalha."
-Fala repetida por aquele que aqui, nesta encarnação, me auxiliou na minha educação/formação, 
como "pai terreno"-

Tudo o mais, dentro do que 'penso, julgo ou considero ajuda',
nada mais é do que a imposição dos meus conceitos, desejos e querer. 
ArqueiroHur



O rever diário e a direção de nossas práticas e atitudes...



Postagem original aqui, em 04.10.2013

O rever diário e a direção de nossas práticas e atitudes...

O que cada um vive e como vive,
assim como a mudança que promove
(ou vir a promover)
em  suas posturas e atitudes, resulta de suas escolhas.
Do mesmo modo, se se estagna na ignorância
ou se se transforma interiormente,
é em decorrência de suas escolhas.

As condições e situações de aprendizado,
como já foi dito tantas vezes,
chegam para todos, indistintamente.
Cabe a cada um escolher, entre querer mudar; 
trabalhando-se e transformando-se,
ou ficar à espera de “melhoras”;
no “conforto” que imagina ter
e na acomodação a que se submete, sem trabalhar-se.

Observem determinadas condições recorrentes
em nossa vida, no dia a dia:

A alegria, a coragem, a força, a sinceridade, etc.
que esboçamos/transmitimos
quando estamos em paz/equilíbrio,
assim como a tristeza, o medo, a fraqueza,
a mentira, etc. que manifestamos diante da dor,
das frustrações, decepções, incompreensões, etc., 
assumem em nós à proporção que permitimos.
Somos nós a permitir que se instalem em nós,
somos nós a nutri-los e reforça-los...

Tudo isso se reporta as escolhas que fazemos
(todo dia, a todo o momento).
Assim, as atitudes que tomamos,
as posturas que assumimos,
o modo como nos colocamos diante das coisas,
dos outros, de nós mesmos, das situações
e, por fim, de toda Criação;
observando, respeitando, compreendendo,
reconhecendo, ou o contrário disto,
refletem o que em nós é revisto, reparado,
transformado, ou reforçado.

Diante disto,
no lugar de especular o motivo daquilo que nos afeta, 
“procurando e olhando para o externo, buscando nos acontecimentos/fatos, pessoas e no ‘dito e efetuado’”, 
cabe-nos e é devido perguntar-nos e observar
quais foram às condições interiores que criamos
para que preponderasse o desequilibrando
(que tanto nos deixa “pesados”
como produz afastamento e individualização).

Por outro lado,
e considerando que o equilíbrio nos coloca em sintonia 
com a Luz do Ser e  com o Todo,
produzindo interiormente a harmonia a ser refletida
e traduzida para o externo
e fazendo vigorar a consciência e o entendimento,
cabe-nos esforçar por criar e manter um/o estado de alegria, coragem, determinação, sinceridade, etc.

Faz parte deste esforço um exercício muito simples
e necessário, no sentido do REVER
(diário, constante),
sugerido por ArqueiroHur
(em um escrito seu, que publico abaixo),
e que pode ser realizado sem cobranças,
sem reviver situações, sem acusações,  
mas com cuidado, amorosidade, leveza, compreensão...
(como ele ali também sugere).

O exercício
(uma “brincadeira” de perguntar-se "o que é, o que é?"), 
consiste em perguntar e responder a si,
dentro dos acontecimentos do dia,
qual foi o foco, a vibração, o aprendizado...;
o que cada situação nos fez ver/perceber,
o que nos ensinou, no que nos fez vibrar;
o que nos fez compreender, rever,
modificar/transformar...

É algo, vale reforçar,
para se realizar com sinceridade, firmeza, clareza,
mas também, amorosidade, leveza, compreensão e respeito.

Quando bem realizado,
este exercício nos pode colocar diante de nós mesmos,
na verificação diária daquilo que nos mantém
ou separa da Luz/Verdade,
revelando a direção de nossas práticas e atitudes
e deixando falar o Ser, através de nossa voz interior...

Que compreendamos!

Somente quem vai fundo em si,
descobre sua força e disponibilidade para transformar-se... 
E é graças a um trabalho constante que podemos nos elevar interiormente,
acima situações que nos limita, faz fraquejar,
prende e conforma...
Quanto a isso não se pode duvidar.



Usee