INFORME

Mediante os movimentos aos quais devo proceder e acatar, em respeito a vocês, meus Queridos Irmãos (ãs), ainda estou aqui. Entretanto, pode acontecer que as postagens não ocorram de forma como vinham se dando: diariamente.
Desta forma, não estranhem caso haja tal situação.
Que a Ordem Divina, permaneça em nosso caminho.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Pequenos Pensamentos - CXCII


Postagem original, em 18.11.2012

           O que seria de nós humanos,
           com nosso individualismo,
           sem o AMOR VERDADEIRO da Criação?...
           Sem a sabedoria, justiça e misericórdia Divina?...



           Estaríamos completamente entregues 
           aos interesses humanos e suas volúpias;
           a breves momentos de 'coincidência entre eles'
           nos prezares efêmeros, 
           dentro da aridez humana.
           Entregues a sua "justiça e igualdade",
           medida e guiada por nacionalidade, classe social
           ou religiosa, cor, enfim...
           
           Amparados no ter, escorados na aparência,
           lamentando o que 'não se tem'.
                                                            ArqueiroHur




O Azarado

Postagem original, em 19.12.2011


O Azarado
  
O azarado vivia a reclamar de sua própria SORTE a todos que encontrava. E a POUCA SORTE lhe atormentava tanto a vida, que ele não conseguia realizar nada ao seu tempo ou da maneira correta, aumentando assim a POUCA SORTE e o seu tormento.
A bem da verdade, nosso amigo azarado, não prestava atenção no que fazia, até no simples ato de beber água, costumava deixar a torneira pingando. Ele era também um tanto quanto preguiçoso, deixava sempre para realizar alguma coisa no dia seguinte, e nunca realizava, já que o dia de realizar era sempre o seguinte. Mas nosso amigo azarado não se dava conta de sua falta de atenção, nem da preguiça, colocando sempre a culpa na sua POUCA SORTE.
Com o seu tormento, passou também a reparar e a comparar na “sorte” de seus vizinhos e amigos, o que veio a aumentar ainda mais seus problemas, já que além de sua preguiça natural e da sua pouca atenção, passava agora o seu tempo a prestar atenção na "SORTE" DOS OUTROS, não tendo mais tempo nem atenção para si mesmo.

O coitado do nosso amigo azarado tentava de todas as formas obter a “SORTE" DOS OUTROS, copiando as idéias e os trabalhos que os “SORTUDOS" tinham, mas com ele NADA, NADA dava certo.
E assim ele foi perdendo tudo o que tinha. (Eu quase havia esquecido de dizer, que seu falecido pai fora um empreendedor bem sucedido, deixando para nosso amigo azarado uma condição razoável de vida).... Depois de perder tudo, saiu a vagar pelo mundo afora, maldizendo sua POUCA SORTE.

E dizem, mas isto eu não posso atestar, que ele ainda vaga pelas ruas, inconformado com a “sorte”  dos outros.
Será que a preguiça e a falta de atenção derrotaram nosso amigo?

Bem, de qualquer forma, se fizermos todas as nossas tarefas com atenção e sem preguiça, a “sorte” com certeza estará do nosso lado. 
Pelo menos é o que eu acho, ou não será???

ArqueiroHur



Você realmente acredita... III – o desamparo

Postagem original, em 11.08.2013



Você realmente acredita... I – o desamparo

Você realmente acredita que:
a Criação e a Sua LUZ
possam ter-se esquecido de você, lhe desamparado,
que não saibam das suas necessidades?

NÃO?!!!!...

Mas como, se você vive se ‘sentindo infeliz’,
um sem sorte, azarado;
se lamento e por vezes,
até mesmo praguejando por sua lastimosa situação?...
 

ROMPENDO

O que a Criação e a Sua LUZ
não fazem ou promovem,
é alimentar aos seus caprichos e desejos.
Ela não tira de um para dar ao outro,
não aduba a ilusão, a inveja,
a cobiça, a disputa, o despeito
ou a ambição humana.

Fornecendo-lhe/ofertando, por outra via, tudo,
absolutamente tudo o que for necessário e preciso
(amparo, compreensão, proteção, orientação,
restauração, condução, perdão, misericórdia,
enfim...)
para o seu caminhar junto ao TODO/Ela.



Entretanto...

A Criação ofertou-nos o sagrado direito de escolha,
que garante, entre outras coisas aqui,
podermos acreditar, pensar, considerar...
o que bem entendemos.
Até mesmo, quanto a Ela. 

ArqueiroHur



E depois...? – II

Postagem original, em 22.05.2016



E depois...? – II

O que acontece ou aconteceu depois de que você percebe ou percebeu que as suas crenças, 
sejam nas pessoas (líderes, ‘pastores’ e etc.) ou no que lhe disseram ser a ‘verdade’, 
eram vazias e levianas?...

E depois de que aquela pessoa à qual você se dedicou e considerou ‘amar’ parte para “uma outra relação” ou 'se foi deste plano', 
como você ou se situou?...

E quando aquele seu sonho se esvaiu, ou aquele objetivo não se concretizou?...

É..., em geral, surge ou surgiu a indignação, a frustração, a ‘revolta’ e a perda do sentido da vida, o vazio total. Pois, é do censo comum, pela formatação, que a vida/existência aqui, neste plano/planeta, se resume a alcançar seus objetivos, a ter seus ‘sonhos realizados’ e seus ‘amores correspondidos’; 
e que 'a verdade' lhe foi revelada pelas instituições.
Assim, quando por qualquer contrariedade, “o mundo cai”, fica-se sem chão e ou rumo.  



Mas, e se você assumisse o processo do caminho evolutivo, teria ainda como ficar se lamentando, esperando que algum milagre aconteça?...

Teria ainda a base para ficar se comparando aos outros?...

Poderia 'ficar perdido' por não ter seus desejos e ou interesses atendidos?...

ArqueiroHur