INFORME

Mediante os movimentos aos quais devo proceder e acatar, em respeito a vocês, meus Queridos Irmãos (ãs), ainda estou aqui. Entretanto, pode acontecer que as postagens não ocorram de forma como vinham se dando: diariamente.
Desta forma, não estranhem caso haja tal situação.
Que a Ordem Divina, permaneça em nosso caminho.

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Pequeno Pensamento - CCLXXXIX

Postagem original, em 19.10.2014

Enquanto qualquer ato ou passo
que eu efetuar
estiver sob a tutela de um resultado,
objetivando que seja 
a "cura", a paz, a felicidade, crescimento, 
enfim...,
estarei me mantendo preso numa vibração densa,
dos desejos e querer;
e confrontando a Vontade Divina.

A realização pelo que "acho" ou conceituo
alimenta a ilusão,
e a inconformidade pela 
não realização do esperado.

Meus atos e passos
devem estar na sintonia da LUZ
e assim voltados para que
a liberdade impere
e o Poder e a Vontade Divina se estabeleçam. 
                                                      ArqueiroHur



O equilíbrio das emoções não quer dizer que deves anula-la.

Postagem original, em 30.05.2013


O equilíbrio das emoções não quer dizer que deves anula-la.


A constituição existente com os corpos:
físico, etérico, emocional, mental e alma
não irá deixar de existir neste  plano.

Mesmo com a mudança de consciência individual
e a unificação destes corpos com a consciência superior (SER).

Esta constituição faz parte das Leis da Criação para esta dimensão
e não pode ser modificada,
senão pela própria Criação, pela Sua Vontade.

Portanto, é preciso cuidado!
Não se deve criar ilusões,
achando que o emocional ou o mental
irão desaparecer ou devam serem anulados.

E sim buscar reaprender, 
"desencaixando peças sem sentido
e colocando as certas no lugar".

É necessário o rever constante
sobre cada situação e reação,
não se culpando (ou buscando culpados)
por ainda se ter “recaídas”
pelos conceitos ou pelas emoções.

O equilíbrio das emoções
não quer dizer que deves anula-la,
mas com compreensão e respeito senti-la.
Os exageros é que devem ser "podados".
Todo excesso demonstra o radicalismo
pela prisão dos conceitos 
ou ressalta as carências, os desejos.

Toda situação deve servir para que saibas discernir
e separar,
percebendo as vibrações.
Para que aprendas a corrigir os auto-enganos
e poder caminhar  na  e com a Ordem Divina.

O sentir lhe aponta o caminho,
por isso observar e entender o que os sentimentos 
(seus ou dos outros)
estão querendo lhe ensinar,
é devido e importante  
para saber auxiliar e receber auxilio.


Mentor da Irmandade de Luz.

Por Luz da Alma




Nível e estágio - nuances

Postagem original, em 04.09.2013



Nível e estágio - nuances

Tentando entender:

Nível: é o ponto de consciência que adquirimos e praticamos,
onde as situações são do nosso conhecimento/entendimento
e não nos causam “surpresas” ou entraves.
Temos atitudes de acordo com a necessidade
que o momento requer, sem romper  o equilíbrio
ou desconsiderando as Leis da Criação.

Estágio: é a fase em que nos encontramos
dentro de cada nível,
onde as situações servem-nos de “testes”,
revelando pelas nossas reações
o conhecimento/entendimento que adquirimos.    


Então, pode-se mudar de nível de consciência
sem se ter reconhecido o estágio em que
se encontrava/se encontra?...

Pelos conceitos, regras e vibração emanadas pela e na sociedade,
acredita-se que sim,
que se possa mudar de nível/ascender
mantendo os mesmos padrões, práticas, crenças...

Mas e o seu interior, que carrega em si a centelha Divina 
e a sua Verdade,
o que ele lhe aponta?...

Ele, com certeza, não crê que haja evolução sem trabalho,
e sabe que para que possa ocorrer o devido trabalho,
têm-se de ter reconhecido o estágio em que se encontra,
pois é por  este reconhecimento que se dá aprendizado.

Vejamos:
Se uma criança na pré-alfabetização não reconhecer que
necessita da orientação da professora para ler e escrever,
negando/resistindo ao seu auxílio
(sem humildade para reconhecer seu estágio e situação:
analfabeta ou iletrada),
irá ter a mesma tramitação, facilidade e desenvoltura
na escrita e sua identificação como os “seus coleguinhas
de classe que aceitaram a ajuda”?...

Ok!... alguns podem ‘estar dizendo’ que há exceções.
Sim! Na educação formal do mundo,
pode sim ocorrer exceções,
por influência da família e de outros fatores,
como o próprio nível de consciência do SER.
Porém, no processo Evolutivo da Criação, NÃO!
Pois não ‘se queimam etapas’ Nele.

Nele não há variantes ou ponderações,
uma vez que Ele é regido pela Justiça, Igualdade
e Verdade Divina.
Sendo o nível de consciência determinado pela
prática e comunhão com o TODO efetuada.

Não pela “fala, desejo ou pretensão”,
muito menos pela “consideração de A, B ou C”...
 


Assim, devemos antes de procurar “passar de nível”
ou ascender, “ser algo maior”,
reconhecer o estágio em que nos encontramos
e trabalharmos nele,
para que a partir deste ponto/condição/limitação,
possamos “despertar”
(aprendendo a “ler e escrever”,
rompendo com os entraves, transpondo as limitações)
e acessar o nível de consciência do nosso Ser,
aceitando-o
(mesmo que ele contradiga e contrarie seus conceitos
e desejos)
e realizando, por permissão, as tarefas que a Ele cabem.

Deixando a “passagem de nível” ser algo coordenado
e determinado pelo Universo Evolutivo,
nosso orientador e guia mestre neste processo/caminho.

ArqueiroHur  



A VERDADE e as vibrações

Postagem original, em 09.10.2015 




A VERDADE e as vibrações

É certo que a VERDADE É ÚNICA!

Como também, 
Ela não ‘fere’, não acusa, nem ameaça ou amedronta;
tanto por respeitar o direito de escolha individual, 
mas também por reconhecer o nível/estágio consciência de cada um, sua capacidade/condição de compreensão e de 'lidar' com Ela.

Desta forma, como exemplo, com uma criança/bebê, em razão do seu nível/estágio de consciência, Ela, VERDADE irá atuar, não se ausentando ou “furtando-se”,
mas, se revelará ‘comedidamente’ para que possa ser compreendida sem ‘gerar medo, fuga ou dependência’.

E é este fator, da VERDADE se revelar de acordo com o  nível/estágio de cada um, que faz com que muitos acabem se enganando e negando-A, pois não percebem reconhecem o seu próprio nível/estágio ou o do outro, gerando assim um conflito interno e ou externo ao se depararem com a VERDADE direcionada ao outro pelo seu nível/vibração ou por procurar/esperar que ele entenda a sua.

Vamos, novamente nos atermos como parâmetro, a uma criança/bebê:

- Será justo da minha parte, que ‘teoricamente como adulto’ estou num nível/estágio superior ao dela, ‘cobrar’ que ela já saiba falar, andar e tenha o pleno entendimento sobre uma série de assuntos?...

- Eu sei que, em vias normais e "no seu tempo", esta criança/bebê irá falar, andar e entender sobre muitas coisas, mas esta ‘cobrança/espera’ sem respeito não poderá atrapalhar ou mesmo impedir o desenvolvimento/crescimento dela?...

- De que adiantaria então a VERDADE, ao gerar discórdia, inveja, “incapacidade”, ‘medo’?...

- E, pelo seu mau uso/revelação, em que Ela, VERDADE, teria se tornado, em qual vibração estaria, 
a quem 'servindo'?...



Não posso, de forma nenhuma, se procuro estar/ser consciente, esquecer que a LUZ é justa, e que um dos seus princípios é o RESPEITO!    
E assim, não vou ‘faltar com a VERDADE’ diante das situações/pessoas; todavia, devo sempre procurar SENTIR para atuar dentro do momento, revelando somente aquilo que possa trazer a compreensão/harmonia, sem alimentar o medo ou gerar discórdias, nem difundindo a dependência ou a idolatria.
Devo sempre procurar perceber/SENTIR o nível/estágio do outro,
e atuar como 'um facilitador' para o seu entendimento.


A VERDADE deve poder ser compreendida,
para que possa caber a aceitação.
Ela não pode ser imposta 
ou ser fruto de alguma ameaça ou barganha. 

ArqueiroHur