INFORME

Mediante os movimentos aos quais devo proceder e acatar, em respeito a vocês, meus Queridos Irmãos (ãs), ainda estou aqui. Entretanto, pode acontecer que as postagens não ocorram de forma como vinham se dando: diariamente.
Desta forma, não estranhem caso haja tal situação.
Que a Ordem Divina, permaneça em nosso caminho.

terça-feira, 6 de setembro de 2016

Acerca de nossa existência no Mundo...



Postagem original aqui, em 07.12.2012


Acerca de nossa existência no Mundo...


Muitas vezes, em aulas de filosofia com meus alunos, ponderei sobre a finalidade de nossa existência no Mundo. Muitas vezes minha fala esteve centrada naquela que, para mim, se constituía a “finalidade” mais importante: conhecer.

Segundo meu entendimento, não vimos ao Mundo para viver a mesma condição dos outros seres. A “razão” nos colocava numa condição superior, era a marca da nossa “humanidade”, possibilitava-nos o conhecimento e, ao longo de nossa existência, nos levava a cumprir nossa “finalidade”.

Não me ocorria pensar outra finalidade. Afinal, não fazia sentido vir ao mundo, existir, para, no fim, não estar mais aqui (não fazia sentido nascer para morrer apenas). Então, que outra finalidade marcaria nossa “presença” na Terra? Eu estava certa (e não tinha dúvida), cabia-nos conhecer...

“Conhecimento”...! O que ele nos possibilitou? Onde nos levou e tem levado? Não é difícil responder a estas perguntas!

Posso, diante do que observamos e do modo como vivemos hoje, continuar afirmando que o homem está cumprindo a finalidade de sua existência? Que o conhecimento o tem levado a fazê-lo? 

Até posso, sob outro ângulo... No entanto, devo assinalar as consequências (todas) desse conhecimento, do que ele tem produzido. 

Devo, sim! Mas não é preciso, está tudo aí, bem visível...

Pelo conhecimento produziu-se (produzimos) a cultura, pela cultura os padrões, pelos padrões os grilhões, pelos grilhões os vícios, as adesões...e viramos todos uns “fantoches”... 

Conhecemos e (nos auto) destruímos pelo conhecimento. Isto com certeza!

Cumprimos nossa finalidade?


Ultimamente tenho experimentado outro “entendimento” sobre as coisas, sobre o “estar” no Mundo e sua finalidade...
Minha razão encontra “razão” noutro horizonte, que não aquele a que eu estava conformada (e confinada).
Minha “consciência”, agora mais atenta, se volta para outro lado, àquele que me afirma enquanto existência efetiva, e mostra a verdadeira finalidade de minha (nossa) existência no (e passagem pelo) mundo...
Minha consciência está atenta ao meu Ser! Minha razão me conduz ao horizonte do meu Ser...   

  [Usee]