INFORME

Mediante os movimentos aos quais devo proceder e acatar, em respeito a vocês, meus Queridos Irmãos (ãs), ainda estou aqui. Entretanto, pode acontecer que as postagens não ocorram de forma como vinham se dando: diariamente.
Desta forma, não estranhem caso haja tal situação.
Que a Ordem Divina, permaneça em nosso caminho.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

O País que não existia


O País que não existia
Num país muito estranho, reinava a mentira e até o nome do país, ninguém sabia ao certo, já que tudo lá era mentiroso.
Os nomes, a idade e até por vezes o sexo era falso... Explico, a gente olhava e via um menino, mas quando se conhecia e conversava, descobria que era menina, ou vice-versa.
Nas escolas, se aprendia a mentira com várias especialidades, entre elas: para ser mais esperto, para sempre levar vantagem em tudo, para ser diferente do que se é realmente e principalmente, para nunca dizer a verdade.
O clima no país era engraçado, pois até ele pregava peças no povo que cansava de sair agasalhado e um sol abrasador aparecia e quando saía com uma roupa mais leve, acontecia de até nevar.
E apesar de toda a confusão que reinava no país, o povo levava as coisas com humor. As crises existentes no governo (sim, existia um governo, mas que também era mentiroso), o povo também não ligava e tudo era encarado com uma natural falsidade.
A fama do país atraiu muitos turistas, curiosos em saber como aquilo se dava. E eram os pobres turistas, motivo de chacotas e sofriam na mão do povo e do governo.
Como tudo lá era mentiroso, eles achavam que todos também o eram, até mesmo os pobres turistas que, ao voltarem para suas terras, acabavam sendo desacreditados ao contarem tudo o que haviam sofrido e presenciado no país da mentira.
E como eu nunca fui a este país, também custo a acreditar na existência absurda deste lugar.
- E vocês acreditam?
Lá, o bobo era esperto e o correto era bobo...  É!, tinham pessoas corretas no país, mas como ninguém acreditava nelas acabavam passando por mentirosas, mesmo não o sendo.
O que eu sei, é que ninguém podia confiar em ninguém, no País que não existia.
- Não entenderam? Nem eu.
- Vocês acham que eu também estou mentido?

ArqueiroHur

Nenhum comentário:

Postar um comentário